Reportar erro
Colunas

Território da TV: Emissoras se unem em prol do caso Santiago Andrade

Cinegrafista da Band morreu após ser atingido por um rojão em protesto

b2788d96dea4057b0e93814dcdbfad74.jpg
Momento em que Santiago Andrade é atingido por rojão em protesto no Rio - Foto: O Globo
Redação NT

Publicado em 13/02/2014 às 09:10:26

A união da mídia (principalmente televisiva) em busca de punição aos suspeitos do assassinato do cinegrafista da Band, Santiago Andrade, segue surpreendendo.

Na tarde desta quarta-feira (12), o "Estúdio i", programa diário exibido pela Globo News, levou ao ar imagens de Caio Silva de Souza, o suspeito de atirar o rojão que feriu fatalmente Santiago, se envolvendo em uma confusão poucos minutos antes de cometer o ato. O curioso é que as imagens são da TV Record, que foi devidamente creditada com seu logo na tela e também pelos GCs. O canal paulista as exibe desde terça (11).
 


A Globo tradicionalmente faz isso com todos os canais - até mesmo os internacionais -, porém geralmente procura ignorar o conteúdo que é exclusivo da Record. Por isso ficou sem mostrar imagens do Pan de Guadalajara em seus programas jornalísticos e evitou o logo da concorrente em sua tela durante a Olimpíada de Londres apelando até mesmo para fotos das disputas ilustrando as reportagens.

Cobertura ostensiva

O primeiro plantão da Globo do ano foi justamente sobre a prisão do black bloc. Dos estúdios da Globo News, Ana Paula Araújo interrompeu a programação às 4h38. Ela ainda retornaria em outros dois boletins antes do início do "Bom Dia Brasil" para atualizar as informações e exibir as primeiras imagens de Caio após a detenção.

O agora preso falou rapidamente com a repórter Bette Luchese, que acompanhou os policiais cariocas na busca, e admitiu ter acendido o rojão. Curiosamente, ele preferiu ficar calado quando falou com os policiais.

Além da cobertura nos telejornais, a Globo também promoveu interrupções no "Mais Você" para mostrar a chegada do voo que trazia o suspeito e também exibiu trechos da entrevista coletiva sobre a prisão ao vivo no "Encontro".

O canal acompanha o caso de perto desde quando Santiago ainda lutava pela vida. Na segunda-feira (10), o "Jornal Nacional" foi encerrado em silêncio e contou com um editorial que pedia firmemente punição aos envolvidos no ato.

Ontem, a edição também foi recheada pelo caso. Dos 26 minutos de conteúdo da versão exibida para rede nacional (por não ter representantes na Taça Libertadores e consequentemente não exibir futebol ontem, o estado de São Paulo conferiu um bloco extra), todos os 16 do primeiro bloco foram sobre a prisão de Caio. A escalada teve somente duas outras notícias: um protesto do MST em Brasília e o processo de cassação do deputado Natan Donadon. No site do telejornal, os 3 vídeos mais assistidos tem relação com o caso Santiago Andrade.

A própria Band também teve boletins especiais sob o comando de Patrícia Maldonado e todas as outras emissoras vêm fazendo uma ampla cobertura sobre as investigações em seus telejornais. Um raro momento de harmonia entre nossos grandes conglomerados, que compartilham a ideia de que a morte de Santiago Andrade não pode ter sido em vão.

 

No NaTelinha, o colunista Lucas Félix irá mostrar um panorama desse surpreendente território que é a TV brasileira.

Ele também edita o https://territoriodeideias.blogspot.com.br e está no Twitter (@lucasfelix)

 

Mais Notícias