Reportar erro
Colunas

NT Internacional: Musical de série sai da TV direto para o palco

Cancelada na televisão, peça apresentada em "Smash" será encenada em Nova York

bafa14108b8734ad71f2324c4e09a4c4.jpg
Katharine McPhee e Jeremy Jordan em cena da série "Smash", cancelada neste ano
Redação NT

Publicado em 21/10/2013 às 14:48:11

"Smash" foi uma série dramática exibida na rede de TV NBC entre 2012 e 2013, que se propunha a dramatizar uma história sobre os bastidores do universo dos musicais da Broadway.

Para isso, sua primeira temporada girava em torno da pré-produção de um problemático musical fictício, "Bombshell", uma obra biográfica sobre a estrela de cinema Marilyn Monroe. As canções da peça, compostas especialmente para a série, eram apresentadas durante os episódios, enquanto acompanhavam a disputa de Karen Cartwight (Katharine McPhee) e Ivy Lynn (Megan Hilty) pelo papel principal. Uma era iniciante no ramo e lutava por seu primeiro papel; outra, filha de uma estrela veterana da Broadway, embora talentosa, ainda não conseguira emplacar um papel de destaque.

Embora bem-recebida em sua estreia, tal como o musical dentro do seriado, "Smash" tinha sérios problemas de roteiro: sua proposta original se perdia em um excesso de distrações e dramas pessoais. Graças a este problema, a série foi gradualmente perdendo o interesse do público, o que ocasionou a mudança de seu showrunner e uma virada narrativa em sua segunda temporada: um musical concorrente, "Hit List", surge quando "Bombshell" começa a entrar nos trilhos para enfim ganhar os palcos da Broadway. E a estrela deste novo musical e musa do seu jovem criador nada mais é a própria Karen Cartwight, uma das candidatas a Marilyn.

Porém, o grande hiato entre temporadas esvaziou o interesse do público norte-americano e "Smash" teve um retorno extremamente apagado em audiência, tornando inevitável seu cancelamento após o término da segunda temporada. E a trajetória da série, tal como seus musicais, pareciam ter chegado ao fim. Pareciam.

Eis que, nesta semana, surge no "The New York Times" a notícia de que um dos musicais de "Smash" vai tentar ganhar vida própria fora das telas da TV, no mundo real, com direito a parte dos intérpretes e dos compositores da agora finada série de TV - para completa surpresa dos fãs! E o musical do seriado que conseguiu esta proeza, surpreendemente, não é o que você deve estar pensando.

"Hit List", que foi apresentado na segunda temporada de "Smash", foi o contemplado. Diferentemente da superprodução "Bombshell", que pôde ser vislumbrada em sua maior parte nos episódios das duas temporadas, o espetáculo independente de fama meteórica inspirado em "Rent" e "Spring Awakening" apenas teve parte de suas canções e pouco de seu enredo apresentado - muito iria ser aproveitado na virtual terceira temporada que não vai acontecer.

Todo este material inédito virá a público na forma de uma apresentação especial de apenas uma noite, em 9 de dezembro, na casa de shows 54 Below de Nova York. O espetáculo de "Hit List" já tem confirmadas as presenças dos atores Jeremy Jordan, Andy Mientus e Krysta Rodriguez, respectivamente Jimmy Collins, Kyle Bishop e Ana Vargas na segunda temporada de "Smash".

Nada ainda foi anunciado sobre Katharine McPhee (quem acompanhou "Smash" sabe o quanto sua personagem é importante para "Hit List"), mas segundo representantes, mais participações especiais ainda serão anunciadas até a data do musical. Drew Gasparini, Joe Iconis, Andrew McMahon, Benj Pasek, Justin Paul, Marc Shaiman, Scott Wittman e Lucie Silvas são os responsáveis pelo texto e canções de "Hit List".

Enquanto isso, "Smash", que no Brasil já teve sua primeira temporada exibida pela Rede Record e Universal Channel, atualmente pode ser vista na grade do canal pago Studio Universal, que também veicula o segundo ano da série.

Épicos em alta

Travis Beacham, roteirista de blockbusters recentes como "Fúria de Titãs" e "Círculo de Fogo", emplacou no canal Fox a encomenda de uma primeira temporada para a série de TV "Hieroglyph", um épico passado no Egito Antigo que explorará intrigas e elementos de mitologia e aventura a partir da trama de um ladrão que sai da prisão para servir ao faraó.

O seriado, aparentemente, já se mostra como uma natural resposta da TV aberta norte-americana ao sucesso de séries como "Game of Thrones" e "Spartacus" na TV por assinatura. Tramas históricas com elementos de fantasia e mitologia já estão surgindo com destaque na programação de concorrentes, tentando atrair a atenção do público que se tornou entusiasta deste subgênero - e já aparecem representantes diversos: "Reign", da The CW e "Vikings", do History Channel, já estão no ar - e a eles se juntarão ainda nesta temporada títulos como "Dracula" e "Black Sails", com tramas grandiosas envolvendo desde reinos medievais a histórias de piratas.

Resta esperar para saber se alguma destas produções vai emplacar como suas inspirações ou ficarão apenas na tentativa.

Noir na TV

Outra tendência comum da TV americana, mas bem mais antiga, é a busca de novas séries policiais, com investigadores que despertem simpatia do público (em geral, a maior diferença entre os vários "procedurais" que tentam seu espaço na TV aberta de lá todos os anos).

O diferencial pode ser o ator que o interpreta, um elemento curioso no seu método de investigação ou o ramo do FBI em que ele atua - mas, quando o personagem já é conhecido do universo pop, fica bem mais fácil vender o projeto e gerar interesse da audiência.
 


Cartaz de "À Beira do Abismo", filme de 1946 com Bogart no papel de Phillip Marlowe


Sabendo disso, Andrew Marlowe, criador de "Castle", está produzindo para o canal ABC uma série sobre seu xará da ficção, o detetive particular Phillip Marlowe. Personagem dos romances de Raymond Chandler, o detetive particular marcou época em suas adaptações para cinema e TV nas décadas de 1940 e 1950, se tornando quase um símbolo do seu gênero na pele de estrelas da época como Humphrey Bogart.

Como é de praxe, as histórias do personagem serão modernizadas e passadas na Los Angeles dos dias de hoje. Se aprovado, o projeto deverá dar as caras na próxima temporada de séries americana.

Em tempo

- O programa de pegadinhas com idosos "Off Their Rockers", cancelado após duas temporadas na TV aberta dos EUA via NBC, vai ganhar sobrevida na TV paga. O canal Lifetime bancará a produção de um terceiro ano do programa apresentado por Betty White, em razão dos bons resultados das reprises dos episódios anteriores em sua grade de programação. O programa volta ao ar por lá em 2014, com mais uma temporada de vinte episódios.

- Embora mal-recebido no Reino Unido, o drama histórico "The White Queen", co-produção com os EUA do canal britânico BBC, pode ganhar uma sequência graças à boa receptividade nos Estados Unidos. O canal pago norte-americano Starz, que ficou satisfeito com o público feminino alcançado ao exibir a adaptação da série de livros de Phillipa Gregory sobre o período da Guerra das Rosas na Inglaterra, está negociando com a produtora Company Pictures a produção de novos episódios que adaptariam o segundo livro, "The White Princess".

- O canal BBC também está produzindo "An Adventure of Space and Time", um telefilme que narrará a história da criação da série "Doctor Who". Brian Cox interpretará Sydney Newman, o criador do personagem e do seriado na década de 1960, na produção que tem estreia marcada para o próximo mês na Inglaterra.


Pesquisador e produtor de projetos para televisão e cinema, Fábio Mendes traz para o NaTelinha as novidades e destaques das programações televisivas pelo mundo. Fale com ele pelo twitter: @fabio_menDS

Mais Notícias