Reportar erro
Colunas

Olhar TV: "Amor à Vida" mal começou e já temos um favorito

bb3305a70c5924f0f6f511cdda960818.jpg
Divulgação/TV Globo
Taty Bruzzi

Publicado em 26/05/2013 às 19:02:10

"Salve Jorge" acabou, "Amor à Vida" mal começou e com poucos capítulos no ar a novela já está dando o que falar. Agora, engana-se quem pensa que o motivo para o “burburinho” seja somente a trama de Walcyr Carrasco.

Protagonistas e antagonistas à parte, a nova novela das nove já tem um grande acerto e que atende pelo nome de Félix, interpretado por Mateus Solano. Vilão com personalidade definida.

Se não bastasse ser mau o suficiente para roubar a filha da irmã e abandoná-la em uma caçamba cheia de lixo, Félix é ganancioso, invejoso e cobiça mais do que dinheiro e poder o amor do pai.

Para conquistar a atenção e o respeito dele, o rapaz foi capaz de abrir mão das suas escolhas pessoais. Cursou Administração para ficar à frente do hospital da família, casou-se e teve um filho.

Porém, além do ódio que sente pela irmã Paloma (Paolla Oliveira), a quem considera a “queridinha da família”, enquanto ele ocuparia o posto do filho rejeitado, Félix esconde também sua preferência sexual.

Rico, charmoso, inteligente e gay. Esse é o perfil do “novo queridinho” do horário nobre, que promete não apenas agitar essa história como também roubar todas as cenas.
 
Eles são os melhores!
 
Ruth e Raquel, Paola e Paulina, Laura Prudente da Costa e Maria Clara Mello Diniz, Nina e Carminha... Responda rápido: quem você prefere? As vilãs, é claro! Agora, você já parou para pensar por que esse tipinho sempre agrada ao telespectador?

A resposta é simples. Porque assim como Odete Roitman, Nazaré Tedesco, Renato Mendes, Flora e Olavo Novaes, entre outros, os vilões possuem algo fundamental para encarar o dia a dia: humor.

E como não poderia ser diferente, o personagem interpretado por Mateus Solano é um cara politicamente incorreto, mas como humor peculiar. Hora debochado, outrora ácido, mas na medida certa. Diferente dos mocinhos.

Bobos demais, a ponto da gente querer dar uma surra para ver se acorda para vida. Ou ainda, preferem fazer a vez dos “coitadinhos”, que se debulham em lágrimas, despertando o desejo de que e o autor tenha pena do telespectador e “mate” logo a criatura.

Aliás, já reparou que em apenas seis capítulos Paloma chorou o suficiente para acabar com a seca do Nordeste? Não me admira muito se a nova mocinha do horário nobre logo ocupar o posto deixado por Giuliana (Ana Paula Arósio), de "Terra Nostra".

 

Tatiana Bruzzi é colunista do NaTelinha e editora dos blogs:www.blogespetaculosas.blogspot.com e www.eueumesmaemeusfilmes.blogspot.com

 

Mais Notícias