Superação

Fernando Fernandes revela dificuldades em No Limite: "Quebrando barreiras"

"Eu estava em uma condição em que um cadeirante não sobreviveria", disse o apresentador no Altas Horas


Fernando Fernandes em entrevista ao Altas Horas, da Globo
"O programa realmente me colocou no limite", observou Fernando Fernandes no Altas Horas - Foto: Reprodução/TV Globo
Por Redação NT

Publicado em 10/07/2022 às 17:45:00,
atualizado em 10/07/2022 às 17:51:10

Fernando Fernandes falou sobre as dificuldades como cadeirantes no comando do No Limite em entrevista ao Altas Horas desse sábado (10). Escalado para comandar o reality show da Globo, cuja sexta temporada chegou ao fim na última semana, o atleta paralímpico e ex-BBB reconheceu que o posto de apresentador da atração impôs a superação de inúmeras adversidades.

“O posicionamento vai muito além do que a gente imagina hoje em dia. Falamos muito de posicionamento em rede social, de internet… Posicionamento tem que estar na atitude. Como cadeirante, comecei a entender que precisava me locomover, me colocar e me posicionar onde não tinha acessibilidade”, detalhou Fernando Fernandes.

O apresentador de No Limite relatou que não intimida e encara como um desafio marcar presença em locais que não foram adaptados para pessoas com mobilidade reduzida. “Fui aprendendo que a inclusão é estar no meio de todos, não só do que a gente acha que nos representa, dito como uma minoria.”

“O programa realmente me colocou no limite. Estava no meio da areia. Eu estava em uma condição em que um cadeirante não sobreviveria, e eu tinha que criar essas formas [de sobreviver]. Por exemplo, aparecer em um quadriciclo e tentar fazer isso de forma natural.”

Fernando Fernandes

O comunicador foi em frente: “Minha dor é grande? É, mas não é maior que a sua. E eu tenho outras [dores] aqui que você não está vendo. Nessas porrada, o meu parâmetro de dor aumentou pra caramba e o meu entendimento também. Passei a me alimentar desses ‘nãos’. Assim, as portas começaram a se abrir”.

“O No Limite está quebrando barreiras não só no Brasil ao apresentar um cadeirante em uma posição em que um cadeirante não estaria”, prosseguiu. Ao ouvir o relato de superação do colega de emissora, Serginho Groisman declarou: “A gente já tem um vencedor do No Limite. É esse aí”.

Fernando Fernandes começou a carreira como modelo, no fim dos anos 1990. Em 2002, ele integrou o elenco da segunda temporada do Big Brother Brasil. Ficou paraplégico após um acidente de carro, em 2009. Depois, investiu no paratletismo, conquistando medalhas mundiais na canoagem.

Final de No Limite 6 teve mais audiência que ano passado

Fernando Fernandes revela dificuldades em No Limite

O No Limite 6 conheceu seu campeão na última quinta-feira (7) e ficou longe de bater o recorde da temporada no Ibope. O reality apresentado por Fernando Fernandes registrou 16,7 pontos de acordo com dados obtidos pelo NaTelinha junto a fontes do mercado. O melhor desempenho da edição foi no terceiro episódio, em 10 de maio, quando alcançou 17,8.

Apesar disso, o anúncio que Charles foi o grande campeão da temporada rendeu um número melhor que a final de 2021, quando era apresentada por André Marques. Em 20 de julho do ano passado, pontuou com 16,3 na Grande SP.

Charles obteve 51,42% dos votos e levou R$ 500 mil. Ele disputou a preferência do público ao lado de Ipojucan e Lucas. "Dever cumprido, entrei nesse jogo para ganhar. Jogar significa o que eu fiz!", comemorou ele, ao vivo.

O reality de sobrevivência foi turbinado neste ano com quase o dobro de episódios: 20, ante 11 de 2021. O No Limite 6 foi transmitido às terças e quintas e também herdou altos índices de audiência de Pantanal, maior sucesso da faixa nos últimos anos da Globo.

Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do Telegram.

Participe do grupo
Mais Notícias