Exclusivo

Eduarda Brasil, campeã do The Voice Kids 3, virou um mulherão e aposta no piseiro

A paraibana diz que não tem plano B e a música precisa dar certo em sua vida


Montagem de fotos de Eduarda Brasil no The Voice Kids 3 e atualmente
Eduarda Brasil na audição às cegas do The Voice Kids 3 e atualmente - Fabio Rocha/TV Globo e Instagram

Eduarda Brasil tinha apenas 15 anos quando venceu a terceira temporada do The Voice Kids, recebendo 40,51% dos votos e consagrando o time Simone & Simaria. Hoje, com 20 anos recém-completados, a paraibana conta ao NaTelinha o que o reality significou para sua vida, quais são seus planos para o futuro e como foi a transição da adolescência para a vida adulta. "Foi bem drástica, de menina para mulher. Muitas pessoas que não me acompanhavam antes do programa não sabiam como era meu estilo, meu jeito de me vestir, ou as músicas que cantava. Até meus 18 anos as pessoas estranhavam muito, só que depois se acostumaram. Até hoje as pessoas se surpreendem quando veem o quanto eu mudei", diz.

Nascida em Cajazeiras, ela está morando em João Pessoa desde o início do ano e continua investindo na carreira artística. Logo que a atração da Globo acabou, Eduarda montou uma banda, fez shows e gravou alguns projetos, mas a pandemia atrapalhou seus planos, que ela está retomando agora. "Graças a Deus, as coisas estão melhorando em todos os sentidos, gravei um projeto em março e a galera tá gostando muito, por mais que seja um estilo um pouco diferente do que eu havia gravado antes. Vou voltar a fazer shows agora no São João", comemora, falando um pouquinho do novo EP, que ganhou o nome de Sem Filtro.

"A gente resolveu gravar de uma maneira totalmente autêntica. Se você ouvir as faixas, vai ver que a gente criou uma identidade própria, um estilo de piseiro um pouco diferenciado. A gente usou algumas características do reggaeton no piseiro, como a parte do timbal, a percussão bem presente, e foi um estilo pelo qual eu me apaixonei, eu me vi naquilo. É um estilo que eu quero seguir", adianta, destacando que sempre acompanhou muitos cantores nacionais e internacionais, mas nunca quis ser uma cópia de ninguém. Mari Fernandez é a artista que a inspira atualmente. "Admiro muito pela história e pela voz", elogia.

Eduarda diz que não tem plano B e sua carreira na música precisa dar certo. "Eu acredito muito que Deus nos presenteia com dons, talentos, e que Ele não faz isso à toa, porque se fosse à toa todo mundo saberia cantar", opina, acrescentando ainda que está gostando muito de atuar como influenciadora e compartilhar o dia a dia com seus mais de 900 mil seguidores no Instagram. "Tudo o que eu gosto de fazer eu posto", completa.

Eduarda Brasil, campeã do The Voice Kids 3, virou um mulherão e aposta no piseiro
Eduarda Brasil e o namorado, Caio, com quem está desde janeiro - Reprodução/Instagram

A morena namora o policial militar Caio Cândido desde janeiro deste ano e se derrete ao falar do amado. "Parece que estamos juntos há 500 anos. É um relacionamento muito bom, muito tranquilo, a gente se apoia em tudo. Ele se esforça muito pra estar do meu lado, pra entender sobre música e tudo mais. É o amor da minha vida, e pra vida", afirma, antes de contar o que gosta de fazer nas folgas.

"Nas horas vagas eu aproveito com o meu namorado, às vezes viajo pro interior, fico com a minha família. Minha fase baladeira eu tô vivendo agora, depois que comecei a namorar, porque eu nunca fui de sair, nem de beber. Mas agora, depois que encontrei uma pessoa que topa tudo... Tô amando viver isso", acrescenta.

Eduarda Brasil aconselha novos participantes do The Voice Kids

Eduarda Brasil, campeã do The Voice Kids 3, virou um mulherão e aposta no piseiro
Reprodução/Instagram

Eduarda Brasil diz que o The Voice Kids foi o pontapé inicial para sua carreira, quando o "game" começou de verdade. A paraibana admite que o título do programa tem muito peso em sua trajetória e que foi seu maior marco até hoje. As maiores lembranças que ela tem, porém, são dos bastidores. "Quando a gente ficava no hotel, quando chegava de viagem ou quando voltava das gravações. Por mais que quem perdesse retornasse pra casa, todo mundo era muito unido, uma das coisas que mais marcou foi a união dos participantes", recorda.

"O conselho que eu dou é ter autenticidade, não querer imitar ninguém. Cada um tem sua personalidade e é isso que faz a gente se destacar, as diferenças. E muita gente fala 'ah, eu sou de uma cidadezinha pequena, isso e aquilo', e eu sou a maior prova de que isso não existe e que a gente consegue realmente o que quer. Saí de uma cidade do interior, saí da zona rural, o canto mais longe do mundo, fui, participei, tudo o que parecia ser impossível... E venci o programa."

Ouça Dona da Bagaceira, nova música de Eduarda Brasil:

Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.

Participe do grupo
Mais Notícias