Reportar
erro
Atentado

Apresentador espancado está com medo e anda com segurança após agressão

Daniel Carniel diz que polícia suspeita que agressão foi motivada por denúncia política em seu programa


Apresentador Daniel Carriel com um microfone na mão e um cartão com o nome Adesso TV
Daniel Carriel foi espancado minutos antes de entrar no ar com programa de denúncias - Reprodução Facebook
Por Marcela Ribeiro

Publicado em 24/01/2022 às 07:09:25

Daniel Carriel surpreendeu os telespectadores da TV Adesso, em Garibaldi, na Serra Gaúcha, ao entrar no ar ao vivo todo ensanguentado logo após ter sido espancado na porta da emissora no dia 14 deste mês. Na ocasião, ele contou que havia acabado de sofrer um atentado. Ao NaTelinha, Daniel explicou que a polícia já identificou um suspeito e que a linha principal da investigação é que agressão teria sido motivada por conta de uma denúncia política feita em seu programa.

"Faço bastante denúncias no programa. Não dá para saber qual denúncia é, faço pouca coisa de polícia, então crimes, essas coisas, está quase descartado. A motivação com certeza é política. "

O apresentador conta que precisou levar dez pontos na boca, lábio interno e queixo após a agressão. Além disso, ele teve luxação no dois dentes e realiza exames para saber se precisará realizar implante.

"Continuo quase sem me alimentar, só alimentação pastosa, água só com canudinho...  Estou tomando medidas, ando com segurança, estou na minha casa me recuperando, essa semana que passou não trabalhei mais", conta ele que pretende tirar essa semana também de licença.

"Não é só fisicamente, é psicologicamente também que estou abalado. Em uma cidade de 35 mil habitantes, nunca ocorreram fatos nem semelhantes, então a gente começa a ficar com medo, não sabe o que pode acontecer. Mudamos a rotina, estamos com segurança e também tomando cuidado redobrado".

Apresentador espancado explica por que entrou no ar ensanguentado

Daniel explicou que decidiu entrar no ar daquele jeito, ensanguentado e ferido, porque temeu que pudessen achar que ele estivesse forjando algo se falasse sobre a agressão só depois.

"Não foi para sensacionalismo nenhum. Decidi na hora, até a equipe não queria que eu entrasse, quis entrar  para mostrar que era sangue, era real e chamar a atenção para a situação da cidade que até um jornalista foi agredido. Nunca aconteceu isso na história de 120 anos da cidade".

De acordo com o apresentador, a cidade de Garibaldi está em "clima de guerra" desde a eleição. Em um ano, a cidade está com o terceiro prefeito.

"Tinha um grupo que estava há 16 anos no poder, não aceitou a derrota, entrou na Justiça, tem uma série de problemas que ocorreram. E a gente denuncia os dois grupos, tanto o que venceu quanto o que perdeu", explica.

TAGS:
Mais Notícias