Reportar erro
Pistolou

Datena se revolta com João Doria ao vivo: "Que se dane"

Apresentador ficou irritado com o governador durante o Brasil Urgente

Datena com mão levantada, enquanto aparece João Doria no painel do estúdio
Datena fica irritado com João Doria no Brasil Urgente - Foto: Reprodução
Redação NT

Publicado em 25/05/2021 às 19:50:00

Durante o Brasil Urgente desta terça-feira (25), José Luiz Datena pistolou com João Doria. O apresentador mostrava o governador de São Paulo posicionado ao vivo, pronto para dar uma coletiva de imprensa sobre a chegada de insumos para produção da Coronavac, quando desistiu de falar. O jornalista ficou irritado porque o político estaria aguardando o ok de outra emissora de televisão para se pronunciar.

"Não vou ficar esperando o governador falar. Se quiser falar, fala. Está esperando o 'vai' de quem? Está esperando o 'vai' dessas emissoras aí. Eu não vou ficar esperando o governador falar com doses de vacinas que chega. Pode tirar (do telão). Como eu não estou no 'vai' dele, não vou com ele. Ele que se dane também. Quero saber do bem estar do povo brasileiro. A gente fica feito um palhaço aqui, ao vivo, esperando o governador dar o 'vai'. Dar o 'vai' o caramba", afirmou.

Veja o vídeo a partir do minuto 1h28:

 

Nesta semana, Datena afirmou que o presidente Jair Bolsonaro não foi o único culpado do atraso da vacinação do Brasil. Em uma conversa ao vivo com Eduardo Barão, correspondente da Band nos Estados Unidos, o jornalista criticou o presidente Joe Biden sobre a falta de ajuda ao países mais pobres.

O apresentador acabou citando Bolsonaro, ao falar sobre o desentendimento entre ele e a China e outros países, que poderiam facilitar a chegada de insumos para vacina ou o próprio imunizante no Brasil.

 

Datena volta atrás após defesa de Bolsonaro

Minutos depois, o apresentador ficou nervoso e voltou atrás em suas colocações. O jornalista esclareceu que não defendeu Bolsonaro em sua fala e que não defenderia a maioria dos políticos brasileiros.

"Antes que as pessoas entendam mal, eu não defendi Bolsonaro coisa nenhuma. Desde o começo, o Bolsonaro foi negacionista. Só que a maioria dos políticos brasileiros também foram com as eleições, não usando máscara, fazendo aglomerações para eleger o seus candidatos. A maioria da política brasileira foi cínica do mesmo jeito que o Bolsonaro foi negacionista. Eu não defendo Bolsonaro coisa nenhuma", explicou Datena.  Recentemente, Bolsonaro criticou o ministro da Economia, Paulo Guedes, e também detonou a China.



Mais Notícias