Reportar erro
Cinema Especial

Globo muda filme e escala Minha Mãe é uma Peça 3 em homenagem a Paulo Gustavo

Minha Mãe é uma Peça 3 foi o último filme da franquia, em 2019

Paulo Gustavo como Dona Hermínia
Paulo Gustavo interpreta Dona Hermínia na franquia - Foto: Divulgação
Redação NT

Publicado em 05/05/2021 às 11:27:33,
atualizado em 05/05/2021 às 11:37:45

A Globo tirou Liga da Justiça (2017) da programação nesta quarta-feira (5) do Cinema Especial, e exibirá na sessão o inédito Minha Mãe é uma Peça 3 (2019), que estaria na próxima Tela Quente. O filme é protagonizado por Paulo Gustavo, morto em decorrência de complicações do novo coronavírus (Covid-19) na noite da última terça (4).

Foi exatamente com o monólogo Minha Mãe é uma Peça que Paulo Gustavo ficou conhecido nacionalmente. O espetáculo teatral ficou por mais de uma década em cartaz e originou o primeiro filme lançado em 2013, que se transformou no mais assistido daquele ano no país.

O espetáculo virou franquia de cinema e levou cerca de 12 milhões de espectadores ao cinema e ainda teve mais duas sequências. A última, lançada no final de 2019 e que será exibida na noite desta quarta, depois de Império, na Globo.

Paulo Gustavo e a luta contra a Covid-19

O humorista faleceu na noite de terça-feira, aos 42 anos de idade. Ele estava internado em estado grave no Hospital CopaStar, localizando na zona sul da cidade, deste o dia 13 março, há quase dois meses. O ator era casado há cinco anos com o dermatologista Thales Bretas e tinha dois filhos gerados por barriga de aluguel.

Em nota, a equipe do ator informou: "Às 21h12 desta terça-feira, 04/05, lamentavelmente o paciente Paulo Gustavo Monteiro faleceu, vítima da covid-19 e suas complicações. Em todos os momentos de sua internação, tanto o paciente quanto os seus familiares e amigos próximos tiveram condutas irretocáveis, transmitindo confiança na equipe médica e nos demais profissionais que participaram de seu tratamento".

Ao longo das últimas semanas, sua assessoria de imprensa, amigos e familiares foram atualizando seu estado de saúde. No início, foi informado que a internação era para se precaver e o quadro não era grave. Só que, com o passar dos dias, a situação foi se agravando, até que em 2 de abril, chegou um comunicado explicando que ele estava sendo tratado por ECMO (Oxigenação por membrana extracorporal) e o estado de saúde era crítico.

Paulo chegou a reagir bem ao tratamento e até interagiu com a equipe médica, mas seu caso continuou grave. Na última segunda (3), ele sofreu uma piora súbita, conforme relatou o boletim médico divulgado para a imprensa, falecendo um dia depois.



Mais Notícias