Reportar erro
Heleine Heringer

Record dispensa jornalista premiada alegando corte de custos

Heleine Heringer estava na Record desde o ano 2000

Heleine Heringer no Câmera Record
Heleine Heringer ficou na Record por 21 anos - Divulgação
Thiago Forato, com Sandro Nascimento

Publicado em 19/03/2021 às 10:49:00

A Record dispensou nesta semana a jornalista Heleine Heringer, que trabalhou na emissora por 21 anos, alegando corte de custos. "Depois de passar pelo Jornal da Record e Domingo Espetacular me dediquei, nos últimos 10 anos, aos programas de grande reportagem da emissora", diz ela, que apareceu pela última vez no Repórter Record, na última quinta-feira (18), sobre casos de crianças mortas por bala perdida.

Heleine começou sua carreira na TV em 1998, como repórter e apresentadora na Globo, no SPTV. Até 2000, peregrinou por Jornal Hoje, Bom Dia Brasil e Jornal da Globo, quando em junho daquele ano recebeu uma proposta da Record, e permaneceu por lá até hoje. No canal de Edir Macedo, nessas duas décadas, também ganhou prêmios importantes como o Vladimir Herzog pela reportagem Estrada da Fome".

"Sempre tive muito orgulho de trabalhar no Núcleo de Reportagens Especiais", diz a jornalista de 48 anos, procurada pelo NaTelinha.  Heleine já foi finalista do Prêmio Imprensa Embratel 2001 com uma série de reportagens sobre a contaminação de um aterro industrial em Santo Antônio de Posse.

Com a saída de Boris Casoy da Record em 2006, Heringer foi para o Domingo Espetacular, que havia sido formatado há pouco tempo. Atualmente, atuava como repórter especial dos programas Câmera Record e Repórter Record.

Record dispensa nomes consagrados

"Saio num momento em que a Record abre mão de nomes consagrados como Domingo Meirelles e Adriana Araújo. É um período dos mais delicados em que a experiência e a credibilidade deveriam ser valorizados frente aos desafios da desinformação e da pandemia", desabafa a profissional.

Adriana Araújo deixa a emissora este mês, segundo o NaTelinha havia informado em janeiro. Ela foi por 14 anos âncora do Jornal da Record e deixou o posto em junho de 2020, depois que mirou críticas ao governo Jair Bolsonaro, em sua rede social, sobre a transparência no combate a Covid-19. A postagem incomodou o alto comando da emissora, que vem adotando uma linha editorial com menos críticas ao presidente. O próximo destino de Araújo na televisão deve ser a CNN Brasil.

Já Domingo Meirelles também não teve seu contrato renovado em fevereiro. O veterano estava na Record desde 2014, mas também foi vítima da política de corte de custos.

TAGS:
Mais Notícias