Reportar erro
Complicado

Covid-19: Maria Beltrão e Natuza Nery se emocionam ao vivo na GloboNews

As jornalistas seguraram o choro durante o Estúdio i

Maria Beltrão emocionada no Estúdio i
Maria Beltrão no Estúdio i - Foto: Reprodução/GloboNews
Redação NT

Publicado em 03/03/2021 às 15:49:00,
atualizado em 03/03/2021 às 15:55:53

Maria Beltrão e Natuza Nery ficaram emocionadas nesta quarta-feira (3) ao comentarem a situação do Brasil no combate a pandemia da Covid-19. Ao perceber que a jornalista estava com a voz embargada, a apresentadora do Estúdio i ficou com os olhos cheios d’água e lamentou os acontecimentos envolvendo a doença. O país bateu recorde de mortes por causa do novo coronavírus na última terça-feira (2), atingindo 1.726 óbitos.

Tudo começou quando Maria chamou a colega para falar da situação caótica em diversos estados brasileiros, que estão com falta de leitos em UTIs (Unidade de Terapia Intensiva). “Cadê o estadista, o consolo? Cadê a humanidade?”, indagou a comunicadora.

“Está na hora de eu te chamar, Natuza, sei que você está chorando... não é a toa que faço uma oração quando eu entro neste jornal e quando eu saio. As pessoas tinham que ter uma aula de UTI, né? Aula de UTI”, disse Beltrão, enquanto Nery aparecia na tela do Estúdio i.

A jornalista concordou com a apresentadora e relatou como tem sido as dificuldades enfrentadas pelos profissionais que estão na linha de frente no combate a covid-19. Ela também criticou o comportamento do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em relação ao novo coronavírus.

“É isso que o presidente deveria fazer, o que o ministro da Saúde deveria fazer. Passar uma hora do dia da vida deles, uma vez só, para entender como as pessoas morrem. O que sacrifício dos médicos de saúde, o que essas pessoas passam. Esse depoimento da Doutora Thais é devastador. Ele tem o medo da morte, do abandono, da dedicação dos profissionais e uma criança que pode ficar órfã porque só tem uma pessoa na vida, que é o pai, que está com Covid”, disparou.

“E um presidente e um ministro, governador e prefeito e olha uma história dessa e não sente que tem o coração sendo rasgado. Onde fica a humanidade dessas pessoas? Num momento como esse, com mais de 1720 histórias por dia, não diz nada? Não faz nada? O mínimo do que poderia fazer de alguém no comando da Saúde era de pelo menos, e nem estou mais pedindo competência porque não tem, pela humanidade. Mostrar que ele se importa. Mas nem isso vem”, desabafou.

Maria Beltrão e a pandemia

Covid-19: Maria Beltrão e Natuza Nery se emocionam ao vivo na GloboNews

Maria Beltrão admitiu, em recente entrevista ao NaTelinha, que teve muita dificuldade no início da pandemia. “Eu cheguei a ficar bastante deprimida no começo da pandemia. Tive dificuldade pra dormir, tive insônia. Durante dois, três meses de pandemia, lá no começo, eu tinha pesadelos que eu batizei de Sonhos de Corona”, confessou.

“Foi tão pesado, mas graças a Deus a gente consegue fazer dos limões uma limonada, pelo menos eu tento sempre fazer isso na minha vida. Foi tão pesada a quantidade de notícia ruim que a gente tem que dar por causa da pandemia”, recordou.

Mais Notícias