Reportar erro
Chorou

Lucy Ramos se emociona no Arquivo Confidencial: "Tô aqui porque lutei"

Atriz chorou ao ver declaração da mãe

Lucy Ramos emocionada e com microfone na mão no palco do Domingão
Lucy Ramos se emocionou no Domingão do Faustão - Foto: Reprodução/Globoplay
Redação NT

Publicado em 27/12/2020 às 18:51:41

Lucy Ramos participou do Domingão do Faustão neste domingo (27) e marcou presença no quadro Arquivo Confidencial. A atriz esteve no palco ao lado de Fausto Silva e comentou sobre ter se saído a grande vencedora da Dança dos Famosos 2020, além de relembrar o passado e se emocionou ao comentar como teve de batalhar para conquistar seu espaço na TV, além de relembrar como a mãe batalhou para dar educação aos filhos.

A atriz, que está atualmente no ar na reprise de A Força do Querer, ficou emocionada no quadro quando apareceu uma entrevista com uma antiga professora de dança da época que ela vivia na favela em São Paulo. "Eu saí de uma comunidade e eu estar aqui hoje, ganhar a Dança. Não é só pra mim, é pra tantas meninas que se inspiram. Vendo que eu consigo, elas também conseguem.

"Eu saí da comunidade naquelas lutas, naquelas conquistas e estou aqui hoje. Por isso eu fiquei muito feliz de estar aqui hoje, porque é uma inspiração", garantiu Lucy, que também foi aos prantos quando sua irmã deu um depoimento e contou para todo que ela costuma ajudar a família e tenta dar uma vida melhor para a sobrinha, ajudando dentro do que é possível.

Lucy Ramos se emociona com a mãe

E a grande vencedora da Dança dos Famosos também lembrou suas conquistas. "Minha mãe saiu de Recife, veio pra São Paulo e depois ela buscou a gente dois anos depois e voltou pra São Paulo. Minha mãe sempre trabalhou e a gente nunca passou fome. Eu sou muito feliz, eu tenho muita saúde e eu tenho tudo pra lutar. Eu não tenho família rica, eu tô aqui porque eu lutei", garantiu.

Foi neste momento que a mãe de Lucy apareceu e chorou ao lembrar que não podia acompanhar a filha a eventos por tinha de trabalhar. "Isso é uma coisa que eu queria muito. Minha mãe nunca pôde acompanhar, nunca pôde aplaudir. Eu sempre fiz minhas coisas muito sozinha. Minha mãe nunca tinha tempo, mas eu entendia porque ela tinha que trabalhar, ela só dependia dela para cuidar dos três filhos", se emocionou ela.

"Minha mãe de todas as maneiras fez tudo pra criar a gente da melhor forma possível. Mesmo a gente morando na favela, tendo todas aquelas coisas ali que não são boas. A gente não fuma, a gente não bebe, a gente não usa drogas", lembrou antes de dar uma lição antes do encerramento. "Minha mãe é faxineira. Pensa Fausto, eu chego aqui, eu jamais vou maltratar uma faxineira aqui. Eu trato de igual para igual porque poderia ser minha mãe"

Mais Notícias