Reportar erro
Morreu aos 83 anos

Como Jonas Mello, veterano das novelas, virou a "voz dos animes"

Ator participou de Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball Z, entre outras produções

O ator Jonas Mello narrou Os Cavaleiros do Zodíaco nos anos 90
O ator Jonas Mello narrou Os Cavaleiros do Zodíaco nos anos 90 - Foto: Montagem/Reprodução/Facebook/Toei Animation
Paulo Pacheco

Publicado em 23/11/2020 às 06:07:01

O ator Jonas Mello, encontrado morto em sua casa na última quarta-feira (18), já era conhecido do grande público quando deu uma guinada em sua carreira nos anos 90. De veterano das novelas, o artista se eternizou entre crianças a adolescentes como "voz dos animes" no Brasil. Entre os trabalhos marcantes na dublagem, estão Os Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball, duas das animações japonesas mais famosas no nosso país.

Para entender como o ator virou referência no segmento , é preciso voltar mais de duas décadas no tempo e analisar como estava a carreira dele na TV.

Em 1994, com 56 anos e quase 30 novelas no currículo, Jonas Mello estava afastado da televisão. Depois de participar da minissérie O Portador (1991), da Globo, decidiu se aventurar em outro ramo da atuação: a dublagem. Para isso, visitou os estúdios da Marshmallow, tradicional estúdio de São Paulo, para conhecer o futuro novo trabalho.

Lá, Jonas encontrou Mário Lúcio de Freitas, ator, músico e dublador, que estava prestes a inaugurar seu próprio estúdio, a Gota Mágica. "Estava saindo da Marshmallow, da qual era sócio, onde comecei a dublar Os Cavaleiros do Zodíaco", conta o artista ao NaTelinha.

"Ele era ator de novelas da Globo, era famoso. Eu o conhecia pela televisão, nunca o tinha visto pessoalmente, mas ele também queria ser dublador. Só que não tinha muita prática, porque o dublador é um ator, mas precisa saber sincronizar a voz dele com o áudio original, o que ele não sabia fazer", explica Mário Lúcio.

Por causa da inexperiência, Jonas Mello não ganhou personagem em Cavaleiros, que estrearia em setembro daquele ano na extinta Manchete, por determinação do diretor de dublagem do anime, Gilberto Baroli.

"Ele nos procurou querendo dublar, mas o próprio Baroli não queria chamá-lo porque não tinha prática", relembra o ex-dono da Gota Mágica, que não quis desperdiçar o talento de Jonas Mello. Por isso, convidou o ator para ser a voz padrão da empresa, ou seja, o narrador que credita o estúdio de dublagem em filmes, séries e desenhos.

"A voz dele era muito marcante, conhecida e bonita, e eu queria uma voz que chamasse a atenção. 'Versão brasileira: Gota Mágica São Paulo'. Criamos esse slogan com uma voz fantástica como a dele. Isso ajudou bastante o crescimento da empresa, tornou a dubladora marcante. Ele fazia novelas como ator, mas muitas pessoas o lembram como narrador da Gota Mágica", afirma. 

A Gota Mágica durou apenas cinco anos, porém é lembrada com nostalgia pelos fãs de anime. Além de Cavaleiros e Dragon Ball, o estúdio dublou Fly, o Pequeno Guerreiro (Dragon Quest), Sailor Moon, Guerreiras Mágicas de Rayearth, Samurai Warriors e Super Campeões.

Mesmo após o fim da empresa, Jonas Mello se consolidou como dublador. Foi chamado para narrar Os Cavaleiros do Zodíaco em sua redublagem, na Álamo. Participou de animes como Dragon Ball Z e One Piece, desenhos como As Aventuras de Babar e filmes como O Senhor dos Anéis. Desde 2006, com a retomada de sua carreira na TV, diminuiu drasticamente seus trabalhos em dublagem, porém ainda recebia convites.

A carreira de Jonas Mello

Paulista, Jonas Mello nasceu em 20 de outubro de 1937. Começou sua carreira em A Cabana do Pai Tomás (1969) na Globo. Na Record, também fez diversas produções como Os Deuses Estão Mortos (1971), Sol Amarelo (1971), O Tempo Não Apaga (1972), O Leopardo (1972), Vendaval (1973), Vidas Marcadas (1973), Estrela de Fogo (1998) e A Escrava Isaura (2004).

Mello também teve passagem importante pela extinta Tupi. Na Globo, atuou em Chega Mais (1980), Coração Alado (1981), Baila Comigo (1982) e Terras do Sem Fim (1982). Na Manchete, o ator esteve presente em Dona Beija (1986). No SBT, atuou em Dona Anja (1997) e Canavial de Paixões (2003).

Os últimos trabalhos de Jonas foram na Globo, em O Astro (2011) e Flor do Caribe (2013), atualmente reprisada pela emissora.

Relembre a trajetória de Jonas Mello na dublagem:

Mais Notícias