Semelhanças

Antes de Desalma, Eterna Magia apostou em história de bruxas, mas afugentou público

Novela exibida na Globo há 13 anos também tinha Cássia Kis no elenco

 Antes de Desalma, Eterna Magia apostou em história de bruxas, mas afugentou público
Cássia Kis viveu bruxas nas duas produções: a vilã Zilda, de Eterna Magia, e a misteriosa Haia, de Desalma - Fotos: Reprodução

Walter Felix

Publicado em 24/10/2020 às 17:59:00,

Nova série do Globoplay, Desalma aposta em uma história de bruxaria, marcada pelo suspense e ambientada em uma cidade sombria no interior do Brasil. A premissa lembra Eterna Magia, novela exibida pela Globo há 13 anos e também com Cássia Kis no elenco, que não conseguiu atrair a audiência e chegou ao fim sem deixar saudade.

continua depois da publicidade

Em 2007, Elizabeth Jhin fez sua estreia como autora titular em novelas com Eterna Magia, no horário das 18h. A produção entrou no ar com o objetivo de manter os altos índices de sua antecessora, O Profeta (2006), também pautada por elementos sobrenaturais. Para acentuar o atmosfera mística, o primeiro capítulo contou até com participação especial do escritor Paulo Coelho.

Assim como Desalma, a trama da novela também se desenvolvia em um município fundado por europeus. Não no Rio Grande do Sul, como na fictícia Brígida da nova série, cujos personagens tem descendência ucraniana, mas em Minas Gerais, na cidadezinha de Serranias, de ancestralidade irlandesa, também conhecida como a Cidade das Bruxas.

continua depois da publicidade

Eterna Magia teve que sofrer alterações para atrair audiência, que torceu nariz para a bruxaria

Em Eterna Magia, duas irmãs de uma família cujas mulheres têm poderes sobrenaturais disputavam o mesmo homem. O triângulo amoroso central era formado por Eva (Malu Mader), uma pianista de sucesso, que retorna ao Brasil e reencontra sua antiga paixão, Conrado (Thiago Lacerda), nos braços de Nina (Maria Flor).

Para atrair o público, que torceu o nariz para os primeiros capítulos, a história foi alterada. Até o tema de abertura mudou: saiu a trilha instrumental soturna para dar lugar ao bolero Nada Além, na voz de Sidney Magal. Além de acentuar o lado mais romântico da trama, a ação se concentrou na luta das bruxas do bem contra os poderes do mal, representados por Zilda, papel de Cássia Kis. No fim, a feiticeira perdia o anel que lhe dava forças e definhava até, literalmente, virar pó.

continua depois da publicidade

Bruxaria, por sinal, não costuma ser sinônimo de sucesso na TV. Em 1998, Brida, último investimento da extinta Manchete na teledramaturgia, acabou acentuando a crise que culminou na falência da emissora. Até hoje, atores que integraram o elenco da novela lutam na Justiça para receber o salário referente àquele trabalho.

Desalma, voltada para o público do streaming, tem tudo para alcançar uma recepção diferente de suas "antecessoras". Além de Cássia Kis, a produção tem Cláudia Abreu e Maria Ribeiro no elenco. Na trama, uma tragédia fez com que uma festa fosse banida do calendário da cidade de Brígida na década de 1980. Trinta anos depois, quando a tradição é retomada, eventos misteriosos começam a assustar os moradores da localidade. Com 10 episódios, a série está disponível no Globoplay desde a última quinta-feira (22).

continua depois da publicidade