Exclusivo

João Côrtes fala sobre fim do Popstar e Taís Araújo: "Ensina sobre ter humildade"

Repórter fez um balanço sobre a temporada do reality show

João Côrtes fala sobre fim do Popstar e Taís Araújo:
João Côrtes abriu o jogo sobre o Popstar - Foto: Divulgação/Marcos Duarte

Publicado em 29/12/2019 às 07:19:49 ,
atualizado em 29/12/2019 às 07:30:16

Por: Naian Lucas com Daniel César

João Côrtes tem apenas 24 anos, mas sua carreira já chama atenção por tantos trabalhos na TV, no cinema e no teatro. Em 2019, ele foi o repórter do Popstar, que termina neste domingo (29), e explicou com exclusividade ao NaTelinha o sentimento de ter feito parte da equipe do reality show, além de ter trabalhado ao lado de Taís Araújo, no qual foi apenas elogios.

“Nossa... aprendi tanto! Essa mulher é uma Deusa. Eu aprendo com ela diariamente. Ela me ensina sobre o universo da televisão, sobre ter humildade e manter o pé no chão, sobre profissionalismo acima de tudo, sobre comprometimento... Tudo ao mesmo tempo. Fazer o que ela faz não é nem perto de ser fácil, muito pelo contrário. É um trabalho árduo, que exige extrema dedicação e energia, além do fato de ter que girar diversos pratos ao mesmo tempo. Assistir Taís trabalhar é um espetáculo à parte. Eu aprendo observando! Além disso tudo, nossa parceria tem sido linda! A gente compartilha nossas dificuldades, nossas dores e desafios, e um apoia o outro! Faz toda a diferença”, comentou.

No ano passado, João teve a responsabilidade de ser um dos participantes, ficando com a segunda colocação. Já em 2019, ficou do outro lado da moeda e ele garante que é muito mais fácil não estar entre os competidores.

 

“Olha, com certeza um pouco mais tranquilo [ser repórter], menos adrenalina. Competir realmente é muita emoção de uma vez só. Agora como repórter eu pude olhar o programa de um ponto de vista diferente, com um certo distanciamento. Foi muito bonito poder acompanhar a trajetória de cada um dentro do programa, cada superação, cada desafio, cada ensaio... Todos se dedicaram muito, se colocaram vulneráveis em cima do palco, se expondo como artistas e popstar's... E isso me emociona, justamente por me identificar tanto com a experiência que vivi no ano passado. Eu fui apresentador, mas também exerci um pouco a função de terapeuta e ombro amigo (risos). E adorei cada fim de semana”, detalhou

“É uma experiência completamente diferente, mas também muito desafiadora. Apresentar é um trabalho bastante técnico, exige ensaio, exige muita atenção e presença. Como cantor, você se prepara pra apresentar aqueles dois minutos de música, e pronto. É um pico de adrenalina. Sua energia é toda canalizada para a música. Por outro lado, como apresentador, você precisa estar atento, focado durante todo o programa, de olho em tudo, nos VT's, no seu posicionamento dentro do estúdio  enfim... Principalmente por ser ao vivo, onde tudo pode acontecer... Mas eu adorei cumprir essa nova função! Foi uma temporada muito divertida, toda a família do Popstar me acolheu novamente de braços abertos, foi lindo!”, explicou João sobre a diferença de ser repórter e um dos participantes.

João Côrtes apresentador?

João ficou conhecido do grande público atuando e, pela primeira vez, teve a missão de se comunicar. Ele garante que gostou da experiência e pode repetir em outros projetos.

“Olha... Não tinha pensado muito nisso até o convite para apresentar os bastidores do Popstar... Mas agora, já quase no final da temporada, posso dizer que é mais uma plataforma em que adorei trabalhar. É comunicação, né? Comunicar é o que eu amo fazer. Da maneira que for, levar arte para as pessoas, emocioná-las de alguma forma, enfim. Não vou fechar nenhuma porta!”, declarou.

E Côrtes está mais confiante após ter trabalhado no Popstar. O artista entrou no programa cheio de incertezas, mas hoje ele se sente mais preparado para outros desafios.

“O João que chegou no programa esse ano era um João ainda sem tanta confiança de que iria conseguir executar a nova função da melhor maneira... Um João menos ligado e atento para certas coisas... O João que sai do programa é um João mais confiante, com mais uma nova experiência nas costas, um aprendizado totalmente novo, tendo conhecido e se desafiado em um lugar totalmente diferente. Um João que se sente mais preparado para exercer essa função, com mais recursos na manga, sabendo jogar o jogo de um programa ao vivo”, confessou.

Vida pessoal

Apesar da dinâmica do programa acontecer aos domingos, João sabia que estaria na equipe alguns meses antes da atração estreia. Isso fez com que ele se preparasse e não tivesse prejuízos em sua agenda.

“Eu já sabia que iria fazer o Popstar com alguns meses de antecedência. Então me preparei para isso, e separei a agenda. Já tinha me organizado para deixar o fim de ano livre pra encarar o programa sem empecilhos”, falou.

Ele ganhou notoriedade ao fazer o “garoto ruivo” dos comerciais da Vivo, mas é algo que ficou para trás. Hoje as pessoas o param na rua para falar sobre o Popstar e comentar para quais participantes estão torcendo.

“Acho que é natural ser associado ao trabalho do momento, principalmente quando se trata de  uma visibilidade gigante em canal aberto. Tenho muito orgulho de todos trabalhos que fiz, e a campanha me abriu muitas portas. Eu tive o prazer de trabalhar com pessoas extremamente talentosas, muito queridas e com vontade de investir no personagem... Foi uma campanha de sucesso, e esse reconhecimento é só fruto disso. Depois das propagandas vieram oportunidades incríveis, de projetos como "Os Experientes",  em que trabalhei com a Beatriz Segall, e inclusive foi o último trabalho dela. E de lá pra cá vieram séries, longas, novela, teatro... só tenho a agradecer”, opinou.

Futuro

Quando abordado sobre o futuro no Popstar, João desconversa e afirma que todos estão focados na grande decisão que acontece na tarde de hoje. Porém, ele não fecha portas. “Se surgir o convite, e eu tiver a disponibilidade, seria um prazer!”.

Só que ele não estará muito longe da telinha e também das telonas. “Vou lançar o longa "Nas mãos de quem me leva", que eu mesmo escrevi e dirigi, e o curta Flush, que escrevi e atuei com o Nicolas Prattes. Em 2020, estarei também na série americana-brasileira O Hóspede Americano da HBO, que conta a a história do ex-presidente americano Theodore Roosevelt (Aidan Quinn) e Marechal Rondon (Chico Diaz), quando ambos partiram em uma expedição no Rio da Dúvida, em Rondônia, no começo do século 20, e na série Sala dos Professores do canal CineBrasil, em que interpreto Daniel, um professor de literatura de 28 anos que acaba de ingressar no colégio. Além disso, vou lançar Elevador Gourmet um disco de jazz, que contará com músicas originais minhas, além de algumas conhecidas pelo público com rearranjos com big band e orquestra, versões bem diferentes da originais”, completou.




publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!