Reportar erro
EJA

Globo lança "Segunda Chamada" em meio à crise da Educação no Brasil

Série vai mostrar as dificuldades da educação num momento delicado do país

 Globo lança "Segunda Chamada" em meio à crise da Educação no Brasil
Segunda Chamada estreia nesta terça-feira. Foto: Divulgação

Daniel César

Publicado em 07/10/2019 às 22:15:21

Nos últimos anos o Brasil vem perdendo desempenho nos índices de avaliação da Educação no país. Num cenário de distanciamento das metas traçadas por parte do Ensino Médio público a Globo lança nesta terça-feira (08) sua nova série, Segunda Chamada.

A nova produção que entrará no ar na faixa II, logo depois da volta da segunda temporada de Filhos da Pátria, vai acompanhar o dia a dia de Lúcia (Débora Bloch), uma professora que leciona numa escola pública noturna em uma sala do EJA (Educação de Jovens e Adultos) e que terá de lidar com a dura realidade desses estudantes que têm problemas demais para conseguir focarem na escola.

Praticamente todos os personagens da série criada por Carla Faour e Julia Spadaccini e com direção artística de Joana Jabace abandonaram a escola em algum momento da vida por mais diferentes razões. Há quem teve de trancar o curso por ter engravidado, personagem que acabou de sair da cadeia e alunos que decidiram terminar os estudos já na terceira idade. 

Faz sentido, afinal, o Censo Escolar brasileiro apontou que, em 2018, jovens entre 14 e 17 anos que não estudam no Brasil chegam quase a parcela de 1 milhão. Apenas entre 2017 e o ano passado foram mais de 200 mil jovens que abandonaram a escola antes de concluir o Ensino Médio.

Enquanto isso, Segunda Chamada vai retratar a realidade nua e crua das escolas de ensino público no Brasil. Por um lado, alunos que não conseguem estudar e que possuem uma série de dificuldades de aprendizado pelas mais diversas razões, por outro a dureza que é lecionar sem nenhuma estrutura ou salário.

Segundo levantamento do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) mostrou que o Ensino Médio Público brasileiro está muito longe da meta estabelecida. Em 2018, os alunos dessa faixa etária atingiram nota de 3,5 enquanto a meta era de 4,4, isso no setor público. No privado, a nota foi 5,8.

O salário é outro fator preponderante neste universo de crise educacional brasileira. Dados da Associação de Professores indicam que um docente do Ensino Médio recebe R$ 17,57 por hora/aula. Isso significa dizer que um professor não ganha mais do que R$ 2.800,00 por mês na educação pública.

A série estreia nesta terça-feira e a primeira temporada tem previsão de levar ao ar onze episódios, ficando no ar até uma semana antes do Natal. A produção é uma parceria da Globo com a O2, uma das maiores produtoras do Brasil. No elenco, além de Débora Bloch, estão nomes como Paulo Gorgulho, Hermila Guedes, Thalita Carauta e Silvio Guindane, além de outros nomes.

Segunda Chamada é aposta da Globo

A série Segunda Chamada é a grande aposta da Globo para o segundo semestre entre suas novas produções. Aprovada no ano passado, ela recebeu tratamento especial de Gloria Perez enquanto era executiva da emissora para séries. 

Enquanto a Globo lança na TV aberta Segunda Chamada, o Globoplay lançará ainda neste ano Desalma, exclusiva para os assinantes do streaming.

Mais Notícias