Sorridente e elegante

7 vezes em que Sandra Annenberg riu, chorou e se surpreendeu na Globo

Sandra Annenberg deixa a bancada do “Jornal Hoje” depois de 16 anos

7 vezes em que Sandra Annenberg riu, chorou e se surpreendeu na Globo
Sandra Annenberg deixa a bancada do "Jornal Hoje" depois de 16 anos - Divulgação

Publicado em 14/09/2019 às 07:30:00 ,
atualizado em 14/09/2019 às 09:54:02

Por: Taty Bruzzi

Nessa sexta-feira (13), Sandra Annenberg se despediu do comando do “Jornal Hoje” depois de 16 anos na bancada do telejornal, que será apresentado por Maju Coutinho a partir do próximo dia 30. Até lá, será Marcio Gomes o responsável pela atração.  

Agora, a jornalista irá dividir com Glória Maria o comando do “Globo Repórter” no lugar de Sérgio Chapelin, que se aposentou. Em sua despedida, a âncora disse ter cumprido seu papel à frente do jornalístico e se emocionou ao assistir alguns momentos da sua carreira.

“É chegada a hora da despedida. Eu tive o privilégio de ter a sua companhia nos últimos 16 anos, nesta bancada. Diariamente nos encontramos aqui ao vivo e a cores, olho no olho. Eu espero ter conseguido levar até você da melhor maneira possível”, disse ao telespectador. 

“Tenha certeza, eu fiz o meu trabalho com toda verdade, com toda transparência e com todo sentimento. Juntos assistimos a história acontecendo e acompanhamos a transformação do nosso país e do mundo. "Muito obrigada. Obrigada a você. O ‘Jornal Hoje’ termina aqui”, finalizou, Sandra. 

Uma carreira memorável na Globo

Sandra Annenberg estreou na Globo como Garota do Tempo no “Jornal Nacional”, em 1991. Antes de assumir a bancada do “Jornal Hoje”, em 2003, apresentou o “Fantástico” ao lado de Fátima Bernardes (1993) e um dos destaques foi a edição especial sobre a morte do piloto Ayrton Senna, no ano seguinte. 

“Eu e Fátima nos falávamos muito durante o programa, mas naquele dia a gente não se olhou. Simplesmente, eu olhava para minha câmera e ela para a dela. Na hora que terminou, estávamos com a voz completamente embargada. Acabamos de ler e, quando nos olhamos, choramos”, disse ao “Memória Globo”.  

Em 1996, a jornalista pediu para voltar à São Paulo e assumiu a primeira edição do “SPTV”. Foi ali que ela teve conhecimento de como funciona o fechamento de um jornal diário e aponta a experiência como grande aprendizado. 

Naquele mesmo ano, fez parte da equipe de cobertura das Olimpíadas de Atlanta. Em 1997, se dividiu entre as funções de apresentadora e editora executiva do “Jornal da Globo”. De volta ao Rio em 1998 para assumir as mesmas funções no “Jornal Hoje”. 

Em outubro de 1999, Sandra deixa a bancada e torna-se repórter. No ano seguinte, segue como correspondente internacional e Coordenadora do Escritório da emissora em Londres, atendendo do “Bom dia!” ao “Jornal da Globo”, com matérias também no “Globo Repórter” e no “Fantástico”.      

Segundo a profissional, foi ali que ela aprendeu como funciona o jornalismo 24 horas. Um dos destaques na carreira internacional foi com a cobertura dos ataques de 11 de setembro ao World Trade Center, em 2001.  

De volta ao Brasil em 2003, foi novamente para o “JH”, desta vez dividindo a bancada com o jornalista Carlos Nascimento. Com a saída do colega no ano seguinte, começava a parceria com Evaristo Costa. 

Em 2005, Sandra acumulou as funções de editora-chefe e apresentadora da manhã no “Globo Notícia”. Além disso, desde 2014 que ela apresenta o programa “Como Será?”, nas manhãs de sábado da emissora. 

Sobre as coberturas que mais lhe marcaram na carreira, a jornalista destaca a escolha do Papa Bento XVI, em 2005, que classifica como um momento tenso. “Na hora em que foi anunciado, ele declarou o nome Bento XVI. Só que falou em latim, Benedictus, e eu traduzi como ‘Benedito’. Não me toquei de que Benedito vira Bento”, revelou ao "Memória Globo". 

 No “JH”, Sandra lembra a cobertura dos Jogos Pan-Americanos mo Rio de Janeiro, em 2017. “Eu nunca tinha entrado no Maracanã e, simplesmente, estrei no dia da final do futebol feminino entre Brasil e Estados Unidos. E a seleção Brasileira ganhou de lavada, foram cinco gols a zero”, vibrou.  

Confira 7 reações surpreendentes de Sandra Annenberg na TV

Apontada como uma das profissionais mais espontâneas e doces da casa, boa parte dos elogios recebidos pela Central de Atendimento ao Telespectador da Globo são para Sandra Annenberg, destacamos 7 momentos em que a jornalista foi espontânea enquanto estava no ar. Confira! 

Que deselegante!”: no dia 31 de outubro de 2011, o a repórter Monalisa Perrone transmitia fazia a cobertura para o “JH” do primeiro dia de tratamento do então Presidente da República, Luiz Inácio da Silva, diagnosticado com câncer na laringe, quando foi interrompida por dois homens enquanto lia o boletim médico divulgado pelo hospital. Na época, Sandra dividia a bancada com Evaristo Costa e ambos ficaram sem ação por alguns segundos até que a apresentadora disse: “Que deselegante!” e pediu desculpas aos telespectadores pelo incidente. O vídeo foi parar na rede social, virou meme e aumentou ainda mais a popularidade da profissional. 

Jornalista se emociona com notícia da filha que encontrou a mãe viciada em crack:  durante a apresentação de uma matéria sobre o reencontro da filha com a mãe, usuária de crack, Sandra Annenberg confessou ter chorado quando assistiu pela primeira vez ao VT e opinou sobre os efeitos que a droga causa no usuário com a voz ainda embargada.    

A reação de Sandra Annenberg com médico que ofendeu paciente: a matéria trazia a história de uma paciente idosa na fila de espera para operar catarata. Questionado sore quando atenderia a senhora e sem saber que estava sendo filmado, o Oftalmologista deu uma declaração grosseira, deixando a apresentadora de olhos arregalados. 

Apresentadora se emociona com homenagem ao Dia das Mães no programa “Como Será?”: casada com o jornalista Ernesto Paglia com quem teve uma filha, a apresentadora do “Como Será?” faz uma declaração emocionante na edição em homenagem ao Dia das Mães e lembra sua experiência com a maternidade. 

Sandra participa de “pegadinha” no “Como Será?” e surpreende o telespectador: para falar sobre o trabalho de dublê, Sandra participa de uma espécie de pegadinha e todos pensam que ela levou um tombo no estúdio. Em seguida, ela explica o que aconteceu, sorrindo. 

Caneta da jornalista escapole das suas mãos durante encerramento do “JH” e ela cai na gargalhada: em mais uma edição do Jornal Hoje ao lado de Evaristo Costa, Sandra Annenberg está encerrando o telejornal quando deixa escapulir a caneta das suas mãos. Espontânea, ela avisa ao colega de bancada e começa a rir enquanto Evaristo pega o objeto no chão.    

Melhores do ano 2018: Sandra Annenberg concorreu ao prêmio de melhor jornalista em 2018 e venceu, mais uma vez, faturando o Troféu Domingão”. A jornalista concorreu com William Bonner e Renata Vasconcellos. 


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!