Saudade

Muito além de "Os Normais": Outros 10 trabalhos geniais de Fernanda Young

Roteirista, que era também apresentadora, atriz e romancista, morreu há uma semana, vítima de parada cardíaca

Muito além de
Fernanda Young vai muito além de "Os Normais" - Fotos: Divulgação

Publicado em 31/08/2019 às 08:17:34

Por: Walter Felix

Morta no último domingo (25) e com sua missa de sétimo dia acontecendo neste sábado (31), Fernanda Young teve uma jornada relativamente curta, prematuramente interrompida aos 49 anos, mas marcada por alta produtividade.

Apresentadora, atriz, escritora e roteirista, ela iniciou sua carreira no fim dos anos 1980 e nunca parou. Em junho de 2019, na Globoplay, estreou "Shippados", última série de sua autoria, em que ainda mostrava ousadia e frescor na parceria com o marido, o também roteirista Alexandre Machado.

Mesmo com uma trajetória tão frutífera, em que cada ano significava um novo projeto, Fernanda Young é mais lembrada por seu maior sucesso: a série "Os Normais", também escrita em parceria com Alexandre Machado, que atraiu grande audiência às noites de sexta, na Globo, entre 2001 e 2003. Além das três temporadas na TV, as desventuras de Rui (Luiz Fernando Guimarães) e Vani (Fernanda Torres) originaram dois longa-metragens, lançados em 2003 e 2009.

Confira, a seguir, outros 10 trabalhos de Fernanda Young, na literatura, no cinema e na TV, que comprovaram seu gênio criativo, sempre marcado pela ousadia e por um texto sagaz, transgressor e avesso às caretices:

Vergonha dos Pés (1996)

A estreia literária da autora foi bem recebida pelo público e pela crítica. Distante do humor frenético de seus trabalhos seguintes, o romance trata com certa melancolia os traumas e fraquezas que unem Ana, uma universitária introspectiva, a Jaime, rapaz cheio de perspectivas para o futuro. Aos olhos de hoje, a história permite reflexões sobre machismo e relacionamentos abusivos.

A Sombra das Vossas Asas (1997)

Também houve espaço para certo romantismo na segunda incursão literária de Young, ainda que o cerne da história seja a vingança. Carina, a protagonista, é uma jovem fora dos padrões que sonha em ser modelo. Fascinada pelo fotógrafo Rigel, acaba humilhada por ele e decide ir à forra: seduz seu algoz e o envolve em um jogo de paixão e interesses.

Os Aspones (2005)

Dois anos após o fim de "Os Normais", Fernanda Young e Alexandre Machado mostravam que o texto afiado continuava em ótima forma nesta série que reuniu elenco estelar: Selton Mello, Andréa Beltrão, Marisa Orth, Pedro Paulo Rangel e Drica Moraes.

Saía de cena a intimidade do casal de noivos. As loucuras da vez eram ambientadas em uma repartição pública, onde funcionários públicos concursados não tinham muito o que fazer. Um novo chefe, disposto a colocar ordem no local, resolve criar afazeres específicos, como perseguir cidadãos flagrados em atitudes controversas.

Inclusive, neste domingo (1º), o Canal Viva presta uma homenagem a Fernanda Young exibindo sete episódio de “Os Aspones” em esquema de maratona, a partir das 13h30.

Irritando Fernanda Young (2006-2010)

Após integrar o elenco do Saia Justa, no GNT, a artista embarcava em um trabalho solo no mesmo canal. A atração recebia convidados de peso - como Fernanda Montenegro e Rita Lee -, e também contava com questionamentos e reflexões da própria apresentadora. Boa parte de sua popularidade junto ao grande público se deve a esse programa, que ficou no ar por quatro anos.

Minha Nada Mole Vida (2006)

O casal de roteiristas retomava a parceria com o ator Luiz Fernando Guimarães nessa série que se propunha a narrar o dia-a-dia de um apresentador de TV. Comprovando, mais uma vez, a inventividade da dupla na criação de situações cômicas, o projeto agradou e teve três temporadas, exibidas entre 2006 e 2007.

O protagonista, Jorge Horácio, era uma clara alusão a Amaury Júnior, famoso pela cobertura de festas e eventos da high society para a RedeTV!. Obrigado pela ex-esposa a se reaproximar do filho, o showrunner se via, ainda, na cobertura de eventos inusitados - como um "carnaval fora de época", esforçando-se para esconder o fracasso da festa, e uma solenidade no subúrbio carioca, onde busca conquistar novos públicos.

Muito Gelo e Dois Dedos D'água (2006)

Com certa frequência, nos deparamos com alter egos de Fernanda Young em suas obras. Neste road movie dirigido por Daniel Filho, novamente escrito a quatro mãos, com Alexandre Machado, há muito da personalidade da artista na personagem Roberta, interpretada por Mariana Ximenes.

Esquisita e rebelde, a jovem se une à irmã "certinha" (Paloma Duarte) para se vingar das maldades da avó ultraconservadora (Laura Cardoso). Elas sequestram a velhinha e partem para a antiga casa de praia, onde revidam as pequenas torturas relacionadas a aparência, comportamento e virgindade.

O Pau (2009)

Adriana, uma mulher madura e bem-sucedida, descobre que está sendo traída pelo namorado garotão nesse livro ousado desde o título. Histérica com a revelação, a protagonista subverte o culto ao pênis, notado desde nossa ancestralidade. Em 10 anos de seu lançamento, a história ainda emociona ao tratar de temas sérios - como o aborto - e diverte ao acompanhar uma stalker nos tempos do Orkut.

Separação?! (2010)

A notícia de que Alexandre Machado e Fernanda Young retornariam com um sitcom sobre a vida de casal surgiu como um alento aos órfãos de "Os Normais", em 2010. Mais que uma reedição dos inesquecíveis Rui e Vani, a dupla de roteirista apresentou ao público um novo par, com seus próprios conflitos.

Casados há anos, Agnaldo (Vladimir Brichta) e Karen (Débora Bloch) estão à beira do divórcio e enfrentam as agruras desse delicado momento. Ao longo da divertida série - que teve apenas uma temporada -, eles passam a questionar se a separação é mesmo a melhor saída.

Como Aproveitar o Fim do Mundo (2012)

Vez ou outra, a autora gostava de flertar com a tragédia. Fascinada pelas profecias maias que previam o fim dos tempos para 21 de dezembro de 2012, ela engatou, naquele ano, dois projetos relacionados ao tema. "Expert em fim de mundo", foi como Young se definiu à frente do programa Confissões do Apocalipse, no GNT, em que entrevistava personalidades sob esse viés catastrófico.

No mesmo ano, apresentou a série "Como Aproveitar o Fim do Mundo", em que os personagens de Alinne Moraes e Danton Mello resolviam curtir a vida sem qualquer escrúpulo, já que o fim estava próximo. O romantismo não ficou de fora: os protagonistas acabam se apaixonando.

Edifício Paraíso (2017)

Atriz bissexta, Fernanda Young passou quase despercebida quando estreou com o papel de uma empregada na novela "O Dono do Mundo" (1991). Participou ainda das séries "Macho Man" (2011) e "Surtadas no Yoga" (2014), ambas de sua autoria. Em 2017, foi uma das personagens centrais de "Edifício Paraíso", também assinada por ela em parceria com Alexandre Machado.

Como Vera, a amante neurótica que se desespera quando o amado abandona a esposa, Young mostrou uma outra face de seu talento. Nos últimos dias de vida, ela voltava a se dedicar ao ofício de atriz, ensaiando a peça "Ainda Nada de Novo", em que atuaria ao lado de Fernanda Nobre. A estreia estava prevista para setembro.

"Os Normais", "Como aproveitar o fim do mundo", "Shippados" e outros trabalhos de Fernanda Young como roteirista estão disponíveis no Globoplay.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!