Solidariedade

Jornalistas desligados da ESPN Brasil recebem apoio de colegas: "Tempos difíceis"

Gustavo Villani e Rodrigo Rodrigues se posicionaram favoráveis aos profissionais desligados

Jornalistas desligados da ESPN Brasil recebem apoio de colegas:
Demissões surpreenderam à todos - Foto: Divulgação/ESPN

Publicado em 15/08/2019 às 09:31:18 ,
atualizado em 15/08/2019 às 10:06:24

Por: Redação NT

Jornalistas esportivos lamentaram as saídas de profissionais da ESPN Brasil. Na última quarta-feira (14), mesmo passando por um bom momento na audiência, a emissora esportiva pertencente à Disney surpreendeu e anunciou o desligamento de comentaristas e executivos, como Rafael Oliveira, Juca Kfouri, João Carlos Albuquerque e João Palomino.

“A ESPN, como tantas empresas, economia em geral, passa por dificuldade... Empregos cortados, famílias atingidas. É triste. Sou muito grato à casa, onde comecei a narrar na televisão. Tempos difíceis de inanição. Força aos amigos e colegas!”, escreveu Gustavo Villani, atualmente narrador do Grupo Globo.

“Em 2016 eu vi a Gazeta acabar com 5 programas da noite pro dia. Já em 2017, presenciei o apagar das luzes da Abril. Ano passado, A demissão em massa no EI. Meses atrás, a barca na rádio Globo. Hoje deixo aqui minha solidariedade aos amigos da querida ESPN. Não está sendo fácil”, posicionou-se Rodrigo Rodrigues, que trabalhou por muitos anos na ESPN e atualmente é contratado do SporTV.

Mauro Cézar Pereira, que escapou das demissões e segue no canal esportivo, desejou sorte aos colegas: "Toda sorte aos companheiros @ArnaldoJRibeiro @etironi @BlogdoJuca @JCAcanalha @mauriciobarros @c_arreguy e @OliveiraRafa Foi uma honra trabalhar ao lado de vocês. E será novamente se os nossos destinos profissionais novamente se cruzarem".

A ESPN se tornou um dos principais assuntos das redes sociais e muitos telespectadores não gostaram das demissões. A saída de João Palomino chamou a atenção por ter um dos cargos mais altos da empresa. Ele foi, por muitos anos, locutor dos canais ESPN, além de ter sido um dos principais apresentadores do "Linha de Passe". Desde 2012, no entanto, exercia a função de vice-presidente de produção e jornalismo, assumindo o lugar que foi de José Trajano desde a fundação da emissora no Brasil, em 1995.

Palomino foi o nome por trás da reformulação na grade de programação do canal que, desde meados de 2014, passou a apostar mais em programas ao vivo e que aliam esporte com entretenimento. Sob a gestão dele, a emissora alçou para a fama nomes como Alê Oliveira e Rômulo Mendonça, adeptos do jornalismo "engraçadinho". Também foi sob sua batuta que programas de análise de futebol tomaram conta da grade diária, além de apostar em várias edições semanais do "Linha de Passe".

Menos famoso, mas com rosto até mais conhecido nos últimos tempos, Rafael Oliveira estava no grupo desde 2013, quando trocou o Esporte Interativo pela ESPN. Além de comentar partidas de menor apelo (já que os dois principais comentaristas de jogos são Mauro Cézar Pereira e Paulo Calçade), Rafael era um dos titulares do programa "Futebol no Mundo" e dava expediente diário no "Bate Bola Bom Dia", que na reformulação de 2019 passou a se chamar "ESPN Bom Dia".

Além dos dois, também foi demitido Arnaldo Ribeiro. Neste ano, Ribeiro ganhou evidência por ser um dos grandes críticos do uso do VAR, o árbitro de vídeo. Ele participava esporadicamente de programas da ESPN, além de exercer a função de chefe de redação.

Também deu adeus à emissora esportiva Eduardo Tironi. Editor-executivo, ele aparecia pouco no ar, mas costumava participar de alguns programas, como o "Linha de Passe" e o "Futebol na Veia". Tironi estava no canal desde 2012. O comentarista Cláudio Arreguy foi outro desligado, bem como Renata Netto, que não aparecia no ar; era gerente sênior desde 2013, além de coordenadora dos canais.

Diferente de outros profissionais, o vínculo com Juca Kfouri que vencia no próximo dia 29 não foi renovado e sequer houve negociação para novo contrato. O próprio jornalista confirmou o desligamento para o UOL, parceiro do NaTelinha, e onde ele mantém um blog sobre futebol. Juca estava na ESPN desde 2005, onde batia ponto semanalmente no mesa redonda de futebol, o "Linha de Passe".

Já João Carlos Albuquerque estava nos canais desde seu surgimento no Brasil em 1995. Ele foi responsável pela apresentação do "Limite", programa voltado para o automobilismo e que fez muito sucesso. Em 2000, o jornalista pediu um período sabático para a direção da ESPN e ficou de fora da televisão até 2005, quando assumiu o "Bate Bola 1ª Edição", considerado à época um dos mais importantes programas esportivos do horário do almoço no país.

Confira as mensagens dos jornalistas esportivos:

Veja o posicionamento oficial da ESPN sobre as demissões:

"A ESPN vive um processo de transformação e adaptação para atender aos fãs, acionistas e clientes de esportes em meio às constantes mudanças no consumo de conteúdo. A reformulação faz parte do planejamento da emissora para o próximo ano que seguirá apostando no conteúdo ao vivo e nos direitos esportivos de futebol, tais como Premier League e La Liga, além das ligas norte-americanas como a NFL, NBA, MLB, NHL entre outras".


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!