Ela gosta de casal

Com "Shippados", Fernanda Young volta a investir em casais

Roteirista já fez várias produções com este mote

Com
Tatá Werneck e Eduardo Sterblitch estão em "Shippados", nova produção de Fernanda Young. Foto: Divulgação

Naian Lucas
i

Naian Lucas

Naian Lucas escreve há 10 anos e já fez de tudo um pouco nas redações. Apaixonado por televisão, é roteirista e trabalha na área desde 2014. Atualmente, é repórter do NaTelinha e aficcionado por tudo que envolve dramaturgia. Siga-me no Twitter: @naiaan

Publicado em 10/06/2019 às 17:36:28

A estreia de "Shippados", nova produção do Globoplay que estreou na última sexta-feira (07), marca o retorno de Fernanda Young para um universo que ela já retratou diversas vezes na televisão: os casais. A série que conta com Tatá WerneckEduardo Sterblitch já está com seus 12 episódios disponibilizados no serviço de streaming da Globo.

Além da própria Fernanda, a obra conta com a assinatura de seu marido, Alexandre Machado, que também costuma escrever outras criações da dramaturga. "Shippados" é a primeira série em que os dois voltam a apostar justamente no universo de casais desde "Como Aproveitar o Fim do Mundo" (2012).

Young e Machado ganharam notoriedade no início do século ao criarem "Os Normais" (2001). A sitcom foi um sucesso de público e crítica e contava com os elogiados Luis Fernando Guimarães e Fernanda Torres nos papéis de Rui e Vani, um casal de noivos que viviam juntos, mas não pensavam em se casar.

A trajetória fez tamanho sucesso que acabou gerando dois filmes para a franquia, e vira e mexe há pessoas apostando no retorno da produção para a televisão, mas o fato nunca foi confirmado nem pela Globo nem pela produtora.

Além de "Os Normais", a dupla de autores apostou numa produção que era o exato inverso da proposta inicial. "Separação" (2010) mostrou o cotidiano de um casal que vive há tanto tempo junto que somente brigam e que não sabem a razão de não se separarem.

Protagonizada por Débora Bloch e Vladimir Brichta, "Separação" teve apenas uma temporada e não contou com a mesma recepção de "Os Normais".

Após visitar outro formato com "Macho Man" (2011), Fernanda e Alexandre voltaram ao universo dos casais no ano seguinte e lançaram "Como Aproveitar o fim do Mundo". A série mostrou os últimos dias de vida de Kátia (Alinne Moraes) e Ernani (Danton Melo) que querem viver tudo o que podem antes do mundo acabar. Por essa produção, a Globo recebeu uma indicação ao Emmy Internacional na categoria comédia, mas não conseguiu vencer.

Desde então, Young havia abandonado o formato. Ela esteve por trás de obras como "O Dentista Mascarado" (2013), que marcou a estreia de Marcelo Adnet na Globo e, mais recentemente, "Vade Retro" (2017).

Amy Sherman-Palladino do Brasil?

O fato de Fernanda Young escrever suas produções para a Globo ao lado de seu  esposo Alexandre Machado e sempre com formato de comédia aponta para um paralelo com uma escritora americana: Amy Sherman-Palladino.

A vencedora do Emmy pela comédia "The Marvelous Mrs Maisel" também é responsável por outra obra icônica da TV mundial, a aclamada "Gilmore Girls" e em ambas ela trabalhou lado a lado com Daniel Palladino, seu espaço que, além de escrever, também dirige alguns episódios


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!