Lucas Leto

Ator lembra reação ao receber convite para Pantanal: "Bom demais pra ser verdade"

Na novela das nove da Globo, o ator viverá Marcelo, filho do vilão Tenório (Murilo Benício)


Lucas Leto caracterizado como Marcelo, de Pantanal, sentado na cama, de camiseta cinza
Pantanal é a segunda novela de Lucas Leto na Globo; ele fez Bom Sucesso (2019-2020) - Foto: Victor Pollak/TV Globo

Falta pouco para os telespectadores de Pantanal conhecerem Marcelo, personagem de Lucas Leto. O rapaz é um dos três filhos que Tenório (Murilo Benício) tem em sua "segunda família", que ainda conta com a matriarca, Zuleica (Aline Borges), e outros dois meninos: Roberto (Cauê Campos) e Renato (Gabriel Santana).

Em entrevista ao NaTelinha, concedida no GExperience, Lucas conta que começou a pensar em uma trama das nove depois de fazer Bom Sucesso (2019-2020). "Com o Waguinho, eu entendi como funcionava uma novela e, a partir daquilo, eu falei 'cara, eu queria fazer uma novela das nove, queria estar nesse horário'. E quando veio o convite [para essa faixa], eu falei 'tá aí, meu sonho'. Aí quando eu soube que era pra Pantanal, falei 'é bom demais pra ser verdade'. Saudei todos os orixás, Deus, Jesus, falei 'é isso'", lembra ele, que veio do teatro.

Questionado se existe uma cobrança por ser um folhetim desse porte, o ator admitiu que se cobra muito. "Eu me cobro porque eu venho de uma escola de mostrar mesmo, de estar preparado. Um dos meus mestres é o Zebrinha, José Carlos Arandiba, que até agora é jurado do Dança dos Famosos. Aquele cara me ensinou como atingir o melhor que você pode fazer. Então, eu me cobro o tempo todo. Tento não fazer muito isso, tento fazer o processo de me cobrar menos, mas eu me cobro. Acho que a pressão maior de Pantanal talvez seja o fato de ela não ser uma obra aberta. A gente não vai ter essa experiência de conversar com o público, vai ser uma coisa mais fechada. A pressão vem disso e da expectativa de ser um grande marco, um clássico da TV brasileira", pontua.

Nascido em 1999, Lucas só assistiu Pantanal depois que foi escalado para a trama, mas cresceu ouvindo as histórias da família, que falava de como era fantástico ver as belezas da região e os animais, estrelas de algumas cenas. "Quando eu fui convidado pra novela, assisti a primeira versão e entendi porque todo mundo se apaixonou. A novela é realmente cativante. Não à toa está um sucesso agora o nosso remake, apresentando imagens belíssimas, atuações primorosas e uma história que te apaixona e te envolve", observa ele.

"Eu gosto muito da coisa fantástica do Pantanal, gosto muito da gente olhar ali a Maria Marruá e ficar ansioso pra entender a virada dela pra onça, sabe? Eu gosto dessa coisa que mescla realidade com o nosso fantástico. A história do nosso país é assim também. Vai pro interior, vai ouvir sobre o bicho, o lobisomem, o folclore. Eu me identifico muito."

Ainda falando sobre a exposição que uma novela das nove traz, o baiano garante que não parou pra pensar nisso e que sua prioridade no momento é estudar para viver o Marcelo. "É uma oportunidade muito grande. É muito especial pra mim saber que me confiaram um papel como esse. Agora na minha cabeça é fazer um bom trabalho, levar uma obra linda pras pessoas assistirem", diz, desconversando quando o assunto é o título de galã. "Eu tô descobrindo essa coisa ainda, mas vamos lá", brinca.

Lucas Leto diz que tem grupo no WhatsApp com colegas de Pantanal

Ator lembra reação ao receber convite para Pantanal: \"Bom demais pra ser verdade\"
Lucas Leto, Murilo Benício, Aline Borges, Cauê Campos e Gabriel Santana em Pantanal -  Foto:João Miguel Júnior/TV Globo

Lucas Leto aposta na identificação do público com o núcleo de Marcelo. O ator conta que a família que Tenório mantém em São Paulo não tem nada a ver com a primeira versão de Pantanal e adianta que a trama trará uma linguagem jovem e moderna. "É um espelho do que é o nosso país. A gente tem uma família de uma mulher preta, super independente e corajosa, que cria seus filhos quase nunca com o pai... A gente tem uma pegada que quem assistir vai se identificar. O público em geral, o público brasileiro. O Brasil vai olhar praquela família e vai falar assim 'eu tô aí na TV. Eu tô aparecendo ali também, olha como parece comigo'. Eu acho isso importante", salienta.

A família ultrapassou as telinhas e se firmou na vida real. Lucas conta que a identificação entre os atores foi imediata e eles têm muito em comum. "O Cauê eu vi crescer na televisão, né? O Gabriel eu já tinha encontrado em alguns testes e a Aline é da minha agência, a gente já tinha trabalhado juntos. A gente teve dois ou três encontros e já foi se identificando, fazendo piada um com o outro, e viu que pensa mais ou menos igual, faz umas piadas iguais, brinca. Parece que a gente se conhece há muito tempo. Tem grupinho no 'Zap' e tudo. A gente se chama de mãe, pai e irmão", vibra ele.

Com Julia Dalavia, intérprete de Guta, meia-irmã com quem Marcelo viverá um romance, Lucas diz que também tem afinidade. "A gente já gravou umas ceninhas. Encontrei com a Julia e dali a gente já viu que tem um encontro muito grande entre dois jovens artistas, que se comunicam através da arte, de uma maneira muito intensa e muito profunda. Eu vejo isso na Júlia e ter trocado com ela nessas cenas foi muito importante, eu fiquei muito feliz. É muito bom quando seu colega de cena é alguém com quem você se identifica e se dá bem", destaca, dizendo ainda que espera que o público sinta química entre os dois.

Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do Telegram.

Participe do grupo
TAGS:
Mais Notícias