Reportar erro
Exclusivo

Globoplay muda estratégia para estreia de curinga do SBT

Marimar estreia na próxima segunda-feira (23)

Cena de Marimar, que entrará no Globoplay
Novela Marimar inaugura um novo modelo de divulgação do Globoplay - Foto: Reprodução
Daniel César

Publicado em 20/08/2021 às 04:00:00,
atualizado em 20/08/2021 às 09:50:51

O Globoplay vai lançar, na próxima segunda-feira (23), a novela mexicana Marimar (1994), que ficou conhecida no Brasil por ser exibida diversas vezes no SBT. Mas, além de tirar a produção icônica com Thalía das mãos do concorrente, a plataforma de streaming deu um passo adiante e fará uma espécie de mudança na estratégia de lançamento, dividindo o folhetim em mais de uma parte.

No release oficial que a Globo enviou à imprensa, está destacado que será liberado Marimar parte 1 e não houve maiores explicações sobre o assunto. Segundo o NaTelinha apurou, no entanto, neste primeiro momento o público poderá maratonar 70 capítulos da história mexicana. Este é um modelo de negócios completamente diferente do que vinha sendo aplicado pelo serviço.

Desde que passou a adicionar novelas em seu catálogo, em maio do ano passado, estreando com A Favorita (2008), o Globoplay sempre liberou as tramas na íntegra, ou seja, todos os capítulos de uma tacada só. E isso continuou sendo feito nos últimos tempos, inclusive com a aquisição de obras de outros países. Agora, a estratégia foi ajustada para lançar Marimar.

A reportagem conversou com interlocutores ligados à plataforma e ouviu que a estratégia não é definitiva e não deve ser utilizada amplamente neste momento. Mas trata-se de um teste para verificar a aceitação do público em obras com grandes viradas. A intenção é de, com conteúdo original principalmente, as novelas serem lançadas em blocos de capítulos.

Globoplay vai mudar

Globoplay muda estratégia para estreia de curinga do SBT

Não está descartado, inclusive, uma alteração na forma com que as novelas da Globo serão lançadas nos próximos tempos no Globoplay. Nos corredores, fala-se que uma produção poderia receber tratamento semelhante ao de Marimar, um exemplo citado nas reuniões foi a própria A Favorita. A trama de João Emanuel Carneiro tem uma grande virada e, diante disso, poderia ter sido lançada uma parte com os primeiros 56 capítulos.

O tema é controverso e está longe de significar que vai ser aplicado na plataforma, mas seu uso com Marimar não é apenas uma coincidência, mas uma estratégia que poderá gerar frutos para mudanças num futuro próximo. Para a plataforma, além de tudo, há um tempo maior para lançar uma mesma obra, o que prolongaria a espera e diminuiria a expectativa por outros produtos tão rapidamente.

Procurada, a Globo não se manifestou.

Mais Notícias