Reportar erro
Nos Tempos do Imperador

Pandemia obriga Globo a "copiar" Record e SBT com novela

Trama das 18h entrará no ar praticamente toda gravada

Selton Melo como Dom Pedro II em Nos Tempos do Imperador
Nos Tempos do Imperador irá ao ar praticamente toda gravada - Foto: Divulgação
Daniel César

Publicado em 04/02/2021 às 04:24:00,
atualizado em 04/02/2021 às 09:36:55

O padrão Globo de qualidade, entre outras coisas, prevê que novela é uma obra aberta que captura aceitação do público, crítica e química do elenco para definir os rumos da história. Mas esse item terá de ser deixado de lado em 2021 graças a pandemia do coronavírus, que obrigou a Globo a “copiar” SBT e Record com Nos Tempos do Imperador. A saga histórica, uma espécie de continuação de Novo Mundo (2016), deverá ir ao ar no segundo semestre praticamente toda gravada.

A decisão de insistir com reprises depois do final de Flor do Caribe foi anunciado pela Globo na última semana com a confirmação de que A Vida da Gente volta em 1º de março. A mudança aconteceu justamente porque a pandemia impediu que o ritmo de gravação nos Estúdios Globo fosse mantido para viabilizar a estreia de Nos Tempos do Imperador, uma novela de época e que exige cuidados redobrados para seguir o rígido protocolo sanitário estabelecido pela emissora para evitar a contaminação da equipe de trabalho.

Segundo apurou o NaTelinha, a trama escrita por Thereza Falcão e Alessandro Marson está gravando em ritmo lento, com a média de três capítulos semanais sendo encenados, e ainda com cenas faltando por conta do fato de que alguns nomes do elenco nem retornaram ao trabalho ainda. Diante deste cenário, em que é necessário gravar seis capítulos por semana para garantir a obra no ar, foi necessária o segundo adiamento da obra.

Ainda que a produção mantenha este ritmo lento até o fim do folhetim, levantamento da reportagem indica que em meados de julho, prazo para o fim de A Vida da Gente, deverão ter sido gravados mais de 70 capítulos, um pouco menos da metade prevista para ir ao ar. Acontece que, diferente de Quanto Mais Vida Melhor e Um Lugar ao Sol, o folhetim já estava em ritmo intenso de gravações quando a pandemia eclodiu.

O NaTelinha conversou com fontes ligadas à produção e confirmou que, em março, quando estava prestes a estrear, Nos Tempos do Imperador já contava com quase 50 capítulos gravados e, desses, 25 estavam prontos, ou seja, haviam sido editados. Isso significa dizer que, quando ela estrear, já terão sido gravados mais de 120 capítulos. Isso num cenário pessimista, já que a expectativa da cúpula da Globo é de que, conforme a vacinação avançar nas próximas semanas, o ritmo poderá ser intensificado, então não seria um absurdo imaginar que a novela estará totalmente gravada quando iniciar sua exibição na TV aberta.

Globo com novelas abertas

Pandemia obriga Globo a \"copiar\" Record e SBT com novela

Desde que se tornou a líder de audiência, a Globo opta por fazer novelas abertas como formato por entender que é preciso ouvir a reação do público e até mesmo ver a produção no ar para fazer ajustes no andamento das histórias. Inclusive, normalmente depois do capítulo 30 a emissora costuma realizar um grupo de pesquisa entre os telespectadores para verificar a aceitação de plots e de personagens.

Isso virou uma marca registrada da Globo a tal ponto de quase se complicar em algumas obras, principalmente de Manoel Carlos, que já chegou a ter apenas dois capítulos de frente de gravação, deixando o ritmo alucinante em Viver a Vida (2008). Quem também sempre defendeu a importância de tramas abertas para ouvir o público e deixou pouca frente é Carlos Lombardi.

Mas com Silvio de Abreu à frente da gestão o cenário vinha e modificando gradativamente, com algumas novelas encerrando as gravações com meses de antecedência, como foi o caso de Bom Sucesso e de Éramos Seis, ambas que ficaram no ar entre 2019 e 2020. O executivo planejava, inclusive, garantir frentes cada vez maiores sob a alegação de ser viável financeiramente.

Globo “copia” SBT e Record

Pandemia obriga Globo a \"copiar\" Record e SBT com novela

Se a Globo não tem nenhuma experiência em exibir novelas como obra fechada, o mesmo não se pode dizer de outras emissoras que sempre fizeram isso, pelos mais diversos motivos. Um exemplo recente aconteceu com a Record, que em meio a tantos atrasos e suspensões, acabou levando Jezabel ao ar em 2019 depois de estar completamente gravada. A emissora de Silvio Santos também é expert em manter grande frente de gravações, desde a década passada, quando chegou a exibir história guardada na gaveta e até mais recente, com As Aventuras de Poliana, que ficou no ar até junho do ano passado, mesmo tendo encerrado as gravações em dezembro do ano anterior.

Neste ponto, o NaTelinha apurou que a cúpula da Globo deverá se espelhar muito mais em antigas experiências com minisséries da década retrasada e que costumavam ir ao ar toda gravada, mais uma prova para a nova direção, que vem com mudanças drásticas.

Procurada, a rede carioca não se manifestou.