Reportar erro
Exclusivo

Com nova gestão, novela feminista de Alcides Nogueira volta ao radar na Globo

Autor pode ver remake de Amor com Amor se paga ser engavetado

Alcides Nogueira posa para foto à frente de um armário de livros
Alcides Nogueira vê seu projeto renascer com a nova gestão da Globo - Foto: Divulgação
Daniel César

Publicado em 15/01/2021 às 04:23:00

Com a decisão da cúpula de dramaturgia da Globo, comandada por José Luiz Villamarim, de não investir em remake nos próximos tempos, o projeto da nova versão de Amor com Amor se Paga, tocada por Alcides Nogueira a pedido de Silvio de Abreu, perdeu forças. Mas o autor não deve ficar parado por muito tempo, já que nos bastidores a novela feminista criada por ele voltou ao radar da emissora.

Segundo apurou o NaTelinha, a nova gestão de dramaturgia da Globo, comandada por Villamarim, já mandou um recado para os autores contratados: não há pretensão neste primeiro momento de se investir em novos remakes. A ordem não é só dele e partiu do diretor de entretenimento, Ricardo Waddington, que quer dar cara própria para o setor no primeiros anos de seu mandato à frente do canal e a norma afeta diretamente o próximo trabalho de Alcides Nogueira.

Na era Silvio de Abreu, Alcides foi um dos autores que mais sofreu com as constantes mudanças de humor na decisão do chefe sobre a aprovação de sinopses de novelas. Sob a batuta do antigo colega de Rainha da Sucata (1990), Deus nos Acuda (1992), A Próxima Vítima (1995) e Torre de Babel (1998), quando foi colaborador, o novelista escreveu apenas dois trabalhos, I Love Paraisópolis (2015) e Tempo de Amar (2017). Desde então, ele vem tentando emplacar um novo projeto para a faixa das 18h, mas não obteve sucesso.

No início de 2020, Nogueira conseguiu emplacar a aprovação de um argumento para ser desenvolvido e transformado em sinopse e que narraria a vida das sufragistas, mulheres brasileiras que lutaram pelo direito ao voto no início do século XX. Em poucos meses o autor desenvolveu o documento e entregou para o Fórum de Dramaturgia, que será finalizado pela nova direção. Sem dar maiores explicações, a trupe de Sílvio de Abreu recusou o projeto, mesmo já tendo reservado a faixa das 18h na fila para a história.

Silvio de Abreu pediu remake a Alcides Nogueira

Com nova gestão, novela feminista de Alcides Nogueira volta ao radar na Globo

Como forma de compensar a recusa ao trabalho de Alcides, Silvio de Abreu encomendou pessoalmente do colega um projeto de remake de Amor com Amor se Paga, trama de Ivani Ribeiro e que foi ao ar originalmente em 1984, numa espécie de homenagem a autora, que completaria 100 anos em 2021, caso viva estivesse. Acontece que, dois problemas vem impedindo que o remake seja produzido.

O primeiro deles é o fato de que Ricardo Waddington e Joé Luiz Villamarim identificaram que a Globo produziu muitos remakes nos últimos anos e por isso quer interromper o formato. O outro é o fato de que Alcides Nogueira deve entrar no ar, no melhor cenário, em 2022, ou seja, não faria nenhum sentido exibir uma homenagem aos 100 anos de Ivani Ribeiro um ano depois.

Além disso, o próprio Waddington considerou sem força uma nova versão de Amor com Amor se Paga como forma de homenagem a Ivani, já que entre todas as suas obras, esta é considerada a menor icônica e aclamada. Diante disso, o novo chefe da emissora optou por praticamente descartar esse projeto.

Alcides Nogueira ganhará espaço

Com nova gestão, novela feminista de Alcides Nogueira volta ao radar na Globo

Mas quem pensa que Alcides Nogueira está perdendo espaço com a nova gestão de dramaturgia da Globo, está enganado. O experiente autor tem a benção de Villamarim e de Waddington para desenvolver seus projetos, principalmente por ser considerado um autor experiente e um dos principais nomes para manter a faixa das 18h em alta. Por isso mesmo a dupla de diretores decidiu ler pessoalmente a sinopse da trama sobre as sufragistas.

E o resultado foi muito bem visto por parte dos dois que gostaram muito do que leram, embora considerem que ainda seja necessário fazer um ou outro ajuste. Fontes da emissora confirmaram que, diante disso, Villamarim encaminhou a sinopse para Edna Palatink, diretora de conteúdo da casa, para que ela faça os apontamentos necessários antes do martelo ser batido em definitivo.

Na fila das 18h estão atualmente Nos Tempos do Imperador, prevista para março e Além da Ilusão, que marcará a estreia de Alessandra Poggi como autora do horário, além de Larissa Manoela debutar na Globo. A partir daí, nenhuma trama antes aprovada pela gestão Silvio de Abreu está garantida.

Procurada, a Globo não respondeu.

Mais Notícias