Novo trabalho

Após ter sinopse sobre sufragismo reprovada, Alcides Nogueira quer adaptar “A Intrusa”

Novelista tenta voltar ao ar em 2021

Após ter sinopse sobre sufragismo reprovada, Alcides Nogueira quer adaptar “A Intrusa”
Alcides Nogueira prepara novela baseada em "A Intrusa". Foto: Divulgação

Publicado em 01/10/2019 às 14:05:21 ,
atualizado em 01/10/2019 às 14:56:12

Por: Naian Lucas

Alcides Nogueira já está trabalhando em uma nova sinopse para o horário das 18h. Depois da Globo ter reprovado sua história sobre o movimento sufragista, o novelista agora pretende adaptar “A Intrusa”.

A volta do autor estava prevista para 2020, mas o Fórum de Dramaturgia da Globo reprovou a sinopse. Nela, Alcides pretendia acompanhar o movimento sufragista no início do século passado, conforme adiantou o NaTelinha com exclusividade.

O sufragismo foi um termo utilizado nos Estados Unidos e na Inglaterra em meados do século XIX, que mostrava a luta das mulheres para ter direito ao voto e também todos os direitos democráticos que os homens já possuíam. 

Após ser comunicado de que a emissora carioca não iria desenvolver a proposta anterior, o dramaturgo foi autorizado a começar outro projeto. Ele está debruçado neste momento na construção de uma sinopse para adaptar “A Intrusa”, como o próprio autor confirmou em conversa com a reportagem.

Não se trata, no entanto, da mesma história do filme de 2014 com Leonardo Di Caprio, e muito menos da novela mexicana estrelada por Gaby Spanic. O livro que Alcides se baseia foi escrito em 1908 por Júlia Lopes de Almeida e acompanha a história de Alice Galba, uma mulher que aceita uma estranha proposta de trabalho. Ela passa a ser governanta de um jovem viúvo que, para cumprir o prometido à sua falecida esposa, coloca uma única condição para a contratação da nova funcionária: que ele não a visse nunca.

A história do romance mostra como o jovem advogado vai se encantando pela governanta apenas através de pequenas sutilezas, como o perfume da mulher que fica no ar, a forma como ela muda a dinâmica da casa, suas leituras que ficam registradas em livros esquecidos e, a partir daí nasce uma grande paixão.

Mesmo com Alcides estando em processo de construção da sinopse, não há garantia de que a Globo vá produzir a novela. O projeto ainda passará por avaliação do Fórum de Dramaturgia e concorre a uma vaga na faixa das seis para 2021. Caso aprovada, “A Intrusa” deverá ir ao ar depois da trama de Alessandra Poggi, prevista para o segundo semestre do ano que vem.

“A Intrusa” repete uma coincidência que parece não preocupar a Globo. Recém-estreada nesta segunda-feira (30), “Éramos Seis” é a primeira de uma série de novelas de época que vão ocupar seguidamente a faixa.

A substituta da adaptação de Ângela Chaves para o livro de Maria José Dupré é “Nos Tempos do Imperador”, produção de Thereza Falcão e Alessandro Marson que pretende acompanhar a vida de Dom Pedro II. Logo depois, deve ir ao ar a adaptação de Gilberto Braga para o livro “Vanity Fair”, que se passa nos anos 20. Ainda não se tem notícias sobre a história desenvolvida por Alessandra Poggi.

O próprio Alcides Nogueira é um entusiasta de tramas de época. No horário das seis, o novelista escreveu “Ciranda de Pedra” (2008) e “Força de um Desejo” (1999), além de seu mais recente trabalho, “Tempo de Amar” (2017). Ele, no entanto, já escreveu obras contemporâneas e, inclusive, venceu o Emmy Internacional pelo remake de "O Astro" (2011).

Nos anos 70, a Globo fez algumas novelas que eram adaptações de livros clássicos brasileiros, como “Helena”, “Senhora” e “A Moreninha”, todas em 1975. Agora, aparentemente, a emissora volta a investir em obras inspiradas na literatura.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!