Globo estuda novas novelas de Gilberto Braga e Manoel Carlos para a faixa das 21h

Problema com "O Sétimo Guardião" faz emissora rever fila de autores

Fotos: Divulgação

Publicado em 18/10/2017 às 00:00:46

Por: Sandro Nascimento

Com o cancelamento da novela "O Sétimo Guardião", de Aguinaldo Silva, por um imbróglio de direitos autorais, o planejamento de autores para a faixa das 21h da Globo começou a ser redefinido.

Segundo apurado pela reportagem do NaTelinha, a grande surpresa na nova fila é a possibilidade de produções assinadas por Gilberto Braga e Manoel Carlos. Nos corredores da emissora, a decisão da diretoria de exibir tramas dos dois roteiristas está sendo tratada como uma forma de homenagem.

No caso de Maneco, seria sua última novela antes de se aposentar. Em entrevista à Globo News em outubro do ano passado, o criador das famosas personagens Helena declarou que gostaria de escrever seu último trabalho na Globo antes de pendurar as chuteiras.

Mas as tramas de Gilberto Braga e Manoel Carlos terão um tamanho diferente de outras produções no horário e devem variar em torno de 90 a 120 capítulos.

Braga não escreve novela para a Globo desde o fracasso de audiência de "Babilônia", em 2015, enquanto Maneco está fora desde 2014, quando assinou "Em Família", que também teve um desempenho no Ibope abaixo do esperado para os padrões globais.


publicidade

Caso Aguinaldo Silva não consiga entregar a nova sinopse, que tem título provisório de "A História dos Lobos", em tempo hábil e perder seu lugar na fila de autores, a Globo planeja contar com os seguintes novelistas até o segundo semestre de 2019: Walcyr Carrasco, João Emanoel Carneiro, Gilberto Braga, Manuela Dias e Manoel Carlos. Embora a ordem entre os último três ainda não esteja totalmente definida.

Oficialmente, o prazo dado pela Globo para Aguinaldo Silva apresentar a nova sinopse em substituição a "O Sétimo Guardião" é dezembro. Entretanto, dentro do canal, acredita-se que dificilmente o autor conseguirá entregar uma nova história, devido à toda complexidade de pesquisa e criação de uma novela, com núcleos e personagens, num prazo tão curto.

Procurada, a Globo confirma a previsão de estreia da novela de Aguinaldo Silva após João Emanoel Carneiro, em 2018. "O que aconteceu foi que Aguinaldo Silva avisou à Globo que, ao começar o desenvolvimento de 'O Sétimo Guardião', viu novas possibilidades de história e se encantou por um caminho totalmente novo. A Globo topou, manteve a previsão de estreia da novela, depois do João Emanoel, e deu um prazo ao autor até dezembro para a entrega dessa nova proposta de texto. O autor está viajando para Portugal e usará esse tempo para desenvolver essa nova trama", disse.

Toda a polêmica envolvendo os direitos autorais de "O Sétimo Guardião" teve seu início no dia 31 de maio, após matéria publicada pelo NaTelinha. Com o título: "Nova novela de Aguinaldo Silva se vê envolvida em polêmica de direitos autorais", a reportagem trouxe ao conhecimento do público, com diversos documentos, todo imbróglio em torno da sinopse da novela e sua possível concepção durante o curso de roteiristas ministrado por Aguinaldo Silva em 2015 com seus 26 alunos.



LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade