Uma semana após acordo, operadoras não reagem e canais da Simba seguem fora da TV paga

Associação de Consumidores não recebeu nenhum retorno das empresas

Reprodução

Publicado em 06/07/2017 às 12:07:31 , atualizado em 06/07/2017 às 20:32:37

Por: Fabrício Falcheti com Sandro Nascimento

Uma semana depois de fechar um acordo com a Simba Content para a liberação dos sinais de RecordTV, SBT e RedeTV! na TV paga da Grande São Paulo, a Proteste (Associação de Consumidores) ainda não recebeu nenhum retorno das operadoras.

Na última quinta-feira (29), o órgão anunciou que fechou um acordo com a joint-venture para o restabelecimento provisório dos canais enquanto as negociações prosseguiam, para resolver as reclamações dos telespectadores, já que as teles não ressarciram e nem inseriram outras opções nos pacotes, ferindo os direitos dos consumidores desde o dia 29 de março.

"O intuito da Simba é resolver os problemas que os consumidores estão tendo. Em razão disso, foi concedida a volta dos sinais, atendendo a um pedido que nós fizemos. Nós apontamos as reclamações que recebemos dos consumidores, porque as operadoras não estão dispostas a ressarcir ou inserir outros canais nos pacotes, eles não estão cumprindo os direitos dos consumidores", explicou a representante da Proteste, Lívia Coelho, na ocasião.

Só que a retomada dos sinais dependia das operadoras, que não se movimentaram até agora, segundo apurado pelo NaTelinha.

- Com fim de polêmica, "O Sétimo Guardião" é a maior aposta da Globo desde "Avenida Brasil"

- Com denúncias de fraude e pressão de youtuber, Band tira "Top Game" do ar em Curitiba

SBT muda tom de chamadas sobre as reformas após ser alvo de inquérito do Ministério Público

Em nota, a Simba reforçou que seguirá em negociações e que liberou os sinais de RecordTV, SBT e RedeTV! em prol "dos milhões de telespectadores impactados" temporariamente até que consiga "um valor justo" pelos canais.

"Cabe agora às operadoras avaliarem a mesma disposição. Estamos empenhando todos os esforços no sentido de concretizar essa negociação na maior brevidade possível em benefício de todos", disse.

Net, Claro, Sky e Oi entendem que essa liberação faria bem apenas para as três emissoras, que continuam querendo receber um montante. O caso segue na Justiça e também envolve o Inadec (Instituto Nacional de Defesa do Consumidor).

O NaTelinha entrou em contato com as teles.

A Net/Claro limitou sua resposta em: "Seguimos em negociação, mas ainda não há acordo". Já a Oi disse que não comenta esse caso. E a Sky afirmou não ter uma posição até o momento.

Leia também:

- Fox Premium chega à Sky com sinal aberto para os assinantes

As sete séries mais caras da história da TV

Imagens de Paul Walker ainda podem aparecer em "Velozes e Furiosos"



publicidade

TAGS:

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!