Testando

Globoplay faz teste para liberar programação ao vivo dos canais Globosat

Alguns assinantes do Globoplay receberam o e-mail para teste

Globoplay faz teste para liberar programação ao vivo dos canais Globosat
Divulgação Globoplay

Publicado em 21/06/2019 às 05:16:53 ,
atualizado em 21/06/2019 às 11:13:22

Por: Daniel César

Desde a última semana, o Globoplay está oferecendo para alguns assinantes selecionados o acesso à programação linear dos 19 canais da Globosat. No e-mail enviado, os escolhidos da plataforma de OTT são informados que trata-se de um teste que vai se encerrar no dia 10 de julho.

"Convidamos você para testar uma nova etapa da experiência da TV na internet. O teste estará acessível apenas no navegador (web e mobile). E é um teste mesmo, não está disponível para uso geral”, explica o documento, que completa informando que para acessar a programação via streaming  precisa utilizar o login de cadastro do portal de notícias da Globo.

Com a iniciativa do Globolive, nome que é apresentado o serviço aos assinantes do Globoplay, o Grupo Globo sinaliza ao mercado que pretende unificar, em uma única plataforma digital, o maior acervo de conteúdo audiovisual em língua portuguesa do mundo. Isso inclui a programação da TV Globo, todos os canais da Globosat, além do conteúdo exclusivo do Globoplay.

Procurada pelo NaTelinha, a assessoria do Globoplay informou que não irá comentar o assunto.

Antes de colocar em prática a estratégia de expandir o leque de opções de conteúdo em sua plataforma digital, o Grupo Globo vai precisar aguardar uma alteração na lei que trata sobre a prestação do serviço de TV por assinatura na Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

A norma em questão está na Lei do Seac (12.485/11 - Serviço de Acesso Condicionado), que proíbe uma produtora de conteúdo de TV por assinatura de comercializar o seu conteúdo linear (o exibido na TV), sem o intermediário de uma operadora, como a Net, Claro, Sky ou Oi TV.

Recentemente, a Fox pode receber multa de até R$ 20 milhões justamente por comercializar a programação linear de seus canais no OTT, o Fox+.

“A diferença básica neste caso é que nesse momento a Globo disponibiliza o serviço gratuitamente e a proibição se dá para a comercialização, ou seja, no teste ela não está ferindo regra alguma”, explicou o advogado Carlos Tereza, em conversa com  NaTelinha.

Atualmente, além do Globoplay, a Globo possui outro aplicativo voltado exclusivamente para os assinantes do canais a cabo; é o Globosat Play, mas seu conteúdo é on demand.

TV paga vs OTT

Enquanto os grandes conglomerados parecem se ajustar ao mercado, as operadoras de TV por assinatura seguem perdendo clientes. Os altos preços, o advento do streaming e até a crise econômica são fatores preponderantes para a queda de assinantes.

Em abril, a TV paga sofreu nova queda em abril e a Sky foi quem mais sofreu. De cada 10 clientes que cancelaram sua assinatura entre todas as operadoras, seis eram da companhia.

O serviço teve no último mês um total de 166 mil cancelamentos e 57,5% deles foram na Sky, que perdeu 70,5 mil assinantes. Com isso, a operadora possui agora 5,11 milhões de clientes e se mantém atrás do grupo Claro Brasil.

A líder do mercado sofreu retração menor, mas também considerada alta. Foram 50,8 mil contas a menos, o que a colocou com um total de 8,33 milhões. Os números representam a soma da Claro, na tecnologia DHT, que conta com 1,42 milhão de assinantes, tendo perdido em abril 18,4 mil; e da Net, TV por cabo que fechou o último mês com 32,3 mil assinaturas a menos, totalizando ainda 6,91 milhões de clientes.

Já a Vivo TV perdeu um total de 19 mil contas e agora possui 1,5 milhão. A única a apresentar crescimento no período foi a Oi TV. A empresa cresceu seus números em 3 mil e atingiu a marca de 1,6 milhão de clientes. A soma das operadoras menores A soma das operadoras menores representaram perda de 28 mil assinaturas.


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!