Reportar erro
Empreendedor

Como Gugu construiu um império e ficou milionário

Impulsionado pela fama no SBT, apresentador se tornou empresário de sucesso

Gugu Liberato
TV foi o grande empreendimento da vida de Gugu (Foto: Antonio Chahestian/Record)
Walter Felix

Publicado em 21/12/2019 às 14:40:00

Gugu Liberato iniciou sua carreira como apresentador no início da década de 1980. Seu primeiro grande sucesso foi o Viva a Noite, programa de auditório veiculado pelo SBT aos sábados, que rapidamente passou a incomodar a Globo. Uma proposta feita pela emissora de Roberto Marinho, rebatida pelo próprio Silvio Santos, alçou Gugu ao posto de milionário, tornando-se um dos passes mais valiosos da TV brasileira.

O ano era 1988. A saída de Gugu do SBT já era dada como certa, até que veio a intervenção de Silvio Santos. O jovem comunicador já tinha contrato assinado com a TV dos Marinho, mas o dono do Baú tinha outros planos para ele. Silvio procurava um segundo nome de peso para sua emissora, que seria seu sucessor e manteria a audiência nas alturas quando o próprio Silvio não estivesse no ar.

Disposto a lutar pela permanência de seu pupilo no SBT, Silvio fez a ele uma proposta milionária e foi tratar da rescisão do contrato diretamente com Roberto Marinho. Os fatos são narrados pelo autor Fernando Morgado em seu livro Comunicadores S.A. No final da década de 1980, após o acerto entre os donos das emissoras, as manchetes de jornal trataram Gugu como "o novo milionário da TV" e "o sucessor de Silvio Santos no SBT".

Gugu adotou zelo na TV e empreendimentos comerciais

Como Gugu construiu um império e ficou milionário

Ao fincar raízes no SBT, Gugu assumiu uma nova postura, além de um saldo bancário várias vezes mais alto. "Ao mesmo tempo em que redobrava o zelo com a produção, Gugu encarava, mais do que nunca, seus espaços na TV como plataformas para o lançamento de novos empreendimentos comerciais", conta o livro escrito por Fernando Morgado.

As revistas Sabadão Sertanejo, em parceira com a Editora Azul, e a Revista do Gugu, da Editora Abril, foram alguns investimentos do novo milionário. Ele lançou novos artistas e bandas, tornando-se empresários de alguns deles e tratando de conseguir uma divulgação direta em seus programas. Os grupos Dominó e Polegar, os cantores Jairzinho e Marcelo Augusto devem parte do sucesso e dos milhões de discos vendidos ao apresentador.

Em entrevista recente ao Hora do Faro, antes da morte de Gugu, o ex-Polegar Rafael Ilha revelou que o comunicador foi seu "primeiro ídolo e grande referência profissional", assim como era para os outros artistas que lançou.

Bebidas não alcoólicas, brinquedos e parque de diversão

Como Gugu construiu um império e ficou milionário

Gugu também investiu no ramo alimentício e de bebidas não alcoólicas, a exemplo da Dominó Internacional, ancorada em um suco de banana. "A essa altura (início dos anos 1990), Gugu havia se tornado sinônimo de fortuna. Conservador com seus investimentos, era avesso à Bolsa de Valores. Não por acaso, além de abrir empresas, investiu muito em imóveis", narra o livro Comunicadores S.A.

Os brinquedos de Gugu, sucesso naquela década, potencializaram seu faturamento. Toda criança sonhava com o Posto do Gugu, com o Cavalinho Upa Upa, ou ainda com os aparatos do seu Show de Mágica.

Tantos produtos deram origem até a uma loja de departamentos que levava o nome do apresentador, que também vendia ingressos para o Parque do Gugu, localizado em um shopping, em São Paulo.

Sonho de ser dono de uma TV

Como Gugu construiu um império e ficou milionário

Todo o êxito como empresário era angariado pela atuação na TV, consolidada com sucesso ano após ano. Já à frente do Domingo Legal, que colocava a Globo em segundo lugar nas tardes dominicais, Gugu sonhava ainda mais alto: ter sua própria rede de televisão. Em 2000, inaugurou uma estrutura para produção de programas televisivos, A GGP, em Alphaville.

Em entrevista à Folha de S. Paulo, em 1995, Gugu relatou um papo com o dono do SBT sobre o assunto. "Outro dia, conversava com Silvio Santos sobre o desejo de construir uma televisão. Sabe o que ele me disse? Que sou louco. Falou assim: 'Você nem imagina os pepinos que vai arrumar quando se meter nisso. Veja o meu caso. Eu era muito mais feliz antes, no tempo em que atuava apenas como animador de auditório'".

Os primeiros passos foram dados, mas Gugu acabou mudando de planos. Em 2007, percebeu que não conseguiria adentrar com tanta facilidade a esse mercado de gigantes. Dois anos depois, os rumos mudariam novamente com a assinatura de um megacontrato com a Record. Estima-se que o seu salário inicial na nova emissora era de R$ 3 milhões mensais.

O vínculo com a TV de Edir Macedo iria até 2017, mas foi rescindido em 2013. Desde então, Gugu passou a se dedicar por temporada em programas que não eram fixos na grade da emissora, como os reality shows Power Couple Brasil e o Canta Comigo, seus últimos trabalhos.

O apresentador morreu no dia 22 de novembro, após sofrer cair de uma altura de quatro metros do sótão de sua casa em Orlando, nos Estados Unidos.

Hoje, sua herança virou notícia com uma disputa entre a família de Gugu e sua ex-companheira, Rose Miriam Di Matteo, que pretende contestar judicialmente o testamento deixado por ele em que destina sua fortuna e seus bens para os três filhos e sobrinhos.

Mais Notícias
Outros Famosos