Representatividade

Dia do Orgulho LGBT+: Relembre personagens que marcaram a TV nos últimos anos

Casais gays, personagens trans, travestis e drag queens fizeram sucesso em novelas e séries recentes

Dia do Orgulho LGBT+: Relembre personagens que marcaram a TV nos últimos anos
Beijo entre Félix e Niko no último capítulo de Amor à Vida, em 2014, marcou a TV brasileira - Foto: Reprodução/Globo

Publicado em 28/06/2020 às 17:10:00 ,
atualizado em 28/06/2020 às 20:55:55

Por: Walter Felix

O Dia do Orgulho LGBT+, celebrado neste domingo, 28 de junho, lembra a importância da representatividade e do apoio a essa parcela da população que ainda enfrenta preconceito e intolerância. Nos últimos anos, a teledramaturgia tem servido de aliada nessa luta, com personagens que ampliam a discussão, levam informação e sensibilizam o olhar da audiência.

Confira, a seguir, cinco produções da TV brasileira com personagens LGBT+ que deram o que falar, na última década:

Félix, de Amor à Vida (2013/14)

O terrível vilão Félix (Mateus Solano) teve direito a um redenção no decorrer da trama de Amor à Vida, de Walcyr Carrasco. Ao final, ele encontra o amor nos braços de Niko (Thiago Fragoso), com quem protagonizou o primeiro beijo gay em novelas da Globo, no último capítulo. A cena final da novela, igualmente marcante, mostra ainda sua reconciliação com o pai homofóbico, César (Antônio Fagundes).

Marcela e Marina, de Amor e Revolução (2011)

O SBT exibiu o primeiro beijo de um casal lésbico em novelas brasileiras em Amor e Revolução, de Tiago Santiago, ambientada no período da ditadura militar. Na trama, Marina (Giselle Tigre) não resiste às investidas da amiga Marcela (Luciana Vendramini). Após alvoroço com a primeira cena, o afeto entre elas foi reduzido no decorrer dos capítulos.

Clara e Marina, de Em Família (2014)

Na sequência de Amor à Vida, o horário nobre da Globo voltava a enfocar um casal LGBT com o romance entre Clara (Giovanna Antonelli) e Marina (Tainá Müller). A primeira vê seu casamento com Cadu (Reynaldo Gianecchini) ruir ao mesmo tempo em que se envolve pela fotógrafa. O casal ganhou torcida na internet e ainda é lembrado como um dos destaques de Em Família, última novela de Manoel Carlos.

Teresa e Estela, de Babilônia (2015)

Um ano depois, parte do público não reagiu bem ao beijo entre as octogenárias Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathália Timberg), exibido no capítulo de estreia de Babilônia, folhetim assinado por Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga. A cena causou revolta entre os mais conservadores, que incitaram o boicote à novela. O casal seguiu junto na trama, com menos beijos, mas com direito a casamento civil.

André e Tolentino, de Liberdade Liberdade (2016)

A novela Liberdade, Liberdade, de Mário Teixeira, ousou ao exibir uma cena de sexo entre André (Caio Blat) e Tolentino (Ricardo Pereira), a primeira entre dois homens na teledramaturgia brasileira. A troca de carinhos entre os personagens se tornou comum na história e incomodou, à época, a Bancada Evangélica da Câmara dos Deputados.

Ivan e Elis Miranda, de A Força do Querer (2017)

A trajetória de Ivana (Carol Duarte), que se reconhece como um homem trans e se assume como Ivan, foi um dos destaques de A Força do Querer, grande sucesso de Glória Perez. Seu autoconhecimento e o processo de aceitação da família renderam cenas emocionantes. A novela também revelou o talento de Silvero Pereira como a travesti Elis Miranda, que atendia pelo nome de Nonato quando trabalhava como segurança do machista Eurico (Humberto Martins).

Shakira do Sertão, de Onde Nascem os Fortes (2018)

Jesuíta Barbosa deu vida à drag queen Shakira do Sertão em Onde Nascem os Fortes, de George Moura e Sérgio Goldenberg. Filho oprimido do juiz Ramiro (Fábio Assunção), Ramirinho se realizava cantando na boate local. Com cenas belas e sensíveis, o personagem impulsionou a repercussão da supersérie.

Luccino e Otávio, de Orgulho e Paixão (2018)

A discriminação enfrentada pelo amor entre dois homens, no início do século XX, foi abordada em Orgulho e Paixão, de Marcos Bernstein, novela das 18h baseada na obra de Jane Austen. Luccino (Juliano Laham) e Otávio (Pedro Henrique Müller) vivem uma paixão proibida. As cenas do casal tiveram beijos, troca de carinhos e diálogos sobre preconceito e aceitação.





LEIA TAMBÉM

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!