Thiago Forato
Reportar erro
Enfoque NT

SBT tentou resgatar Viva a Noite com Gilmelândia em "arrancada da vitória", mas durou pouco

Viva a Noite foi ao ar em 2007, mas teve poucos meses de vida

Gil no Viva a Noite
Viva a Noite sendo comandado por Gilmelândia em 2007 - Divulgação/SBT
Thiago Forato

Publicado em 30/11/2019 às 10:10:08

Programa que consagrou Gugu Liberato, o Viva a Noite fez sucesso nas noites de sábado dos anos 80, mesclando brincadeiras com artistas e musicais.

No ano de 2007, em um período que o dinheiro da Record jorrava e dizia que estava rumo à liderança, abocanhou o segundo lugar do SBT, que se viu em apuros e lançou uma campanha naquele ano intitulada de "arrancada da vitória".

O termo virou piada, mas o SBT mostrou que estava disposto a recuperar o posto de "líder do segundo lugar" lançando vários programas de uma tacada só. Dentre eles, o Viva a Noite.

Adriane Galisteu era um nome forte para comandar a atração nas noites de sábado, que estava infeliz com o seu Charme, mas no final das contas, o programa ficou com a cantora Gilmelândia, a Gil.

Com apenas nove meses de duração, o Viva a Noite tinha os repórteres Bruno Chateaubriand e Supla. O formato era muito parecido com o original dos anos 80: brincadeiras e musicais no palco.

Gugu Liberato, aliás, compareceu à estreia da atração, para a surpresa de Gilmelândia. O loiro, que já vinha declinando há muito tempo com o seu Domingo Legal, desejou boa sorte à cantora e nova apresentadora.

A alta expectativa deu lugar à frustração quando o programa estreou. A consequência foi a baixa audiência do Viva a Noite, que vivia constantes derrotas para o Show da Tom, da Record.

Logo, o Viva a Noite saiu da faixa das 22h para às 18h30. Foi a pá de cal que o programa precisava para sair de vez do ar, sem deixar saudades.

As brincadeiras no palco já não contavam mais com a mesma espontaneidade dos anos 80 e os artistas consagrados eram restritos ou contratados da Globo, dificultando sua manutenção.

Outros tempos.

Mais Notícias