Enfoque NT

Prestes a completar 10 anos no SBT, Raul Gil volta a ter quatro horas de absoluto marasmo

Programa Raul Gil estreou no SBT em 2010 e pouco mudou

Prestes a completar 10 anos no SBT, Raul Gil volta a ter quatro horas de absoluto marasmo
Raul Gil apresentando o quadro Shadow Brasil - Divulgação/SBT

Publicado em 02/11/2019 às 09:33:29

Por: Thiago Forato

Já são quase 10 anos consecutivos de SBT. O tempo passa. Não para o Programa Raul Gil, que viu a TV evoluir nas últimas décadas, mas a atração continua rigorosamente a mesma.

Embora a concorrência na tarde de sábado não seja tão ferrenha como no domingo, por exemplo, Raul Gil pouco fez em seus últimos anos. Lançou quadros como o Shadow Brasil em que a essência é a mesma desde sempre: calouros.

Não há nada de errado em dar espaço a calouros. Muitos programas ainda fazem isso, até no próprio SBT, como Ratinho e Silvio Santos. Mas, ao contrário de Raul Gil, não é só isso.

Jovens, crianças, adultos, sejam eles quais forem, todos se apresentam como calouros no programa do "Seu Raul". O formato está saturado há muito tempo e nada diferente é feito, com exceção de um ou outro quadro de entrevistas que passou como o Mulheres/Youtubers Querem Saber e desafogos como o Para Quem Você Tira o Chapéu e o clássico Banquinho.

No mais, é isso. Obviamente existe um público fiel, não por acaso, o Programa Raul Gil atinge médias entre 5 e 6 pontos no horário e briga pela vice-liderança. Mas, o que impede de ousar um pouco mais?

A volta das quatro horas

Depois de ter pedido uma hora para Patrícia Abravanel em agosto, com a estreia do Topa ou Não Topa, Raul Gil volta a sua duração original neste sábado (02), depois do Programa da Maisa. 

Um programa tão longo e quase monotemático, ter quatro longas horas de duração é puro exagero. Obviamente ações de merchandising e intervalos comerciais precisam pagar a produção, mas quatro horas, ainda assim, é um pouco demais.

Assistir ao programa ininterruptamente é quase uma tortura. 

Luciano Huck engoliu Raul Gil

Em um futuro não tão distante do ponto de vista histórico, Raul Gil era líder de audiência nos anos 2000, quando ainda brilhava na Record.

As atrações, como sempre, eram os calouros, que davam enxaquecas à Globo. O Caldeirão do Huck, para se ter uma ideia, demorou cerca de dois anos para se firmar como líder absoluto.

Entretanto, estamos falando de quase 20 anos atrás e o Programa Raul Gil continua o mesmo. E olha que o apresentou já lançou novidades importantes.

Em 2006, quando estava na Band, estreou o Homenagem ao Artista, onde jovens talentos interpretavam suas músicas aos respectivos homenageados.

Há cinco anos, o programa voltou ao ar pelo SBT e até deu uma rejuvenescida. Mas, ainda é pouco pela história que Raul Gil tem na TV.

Um dos melhores animadores do país retornou à rede de Silvio Santos em 2010 almejando a liderança, e embora tenha flertado com ela nos seus primeiros meses, ficou longe demais do seu objetivo inicial.

Também pudera, de 2010 para 2019, o que mudou?

______________________________________________________________________________________________________________ 

Thiago Forato é jornalista e escreve diariamente para o NaTelinha. Assina a coluna Enfoque NT desde 2011. Converse com ele pelo e-mail thiagoforato@natelinha.com.br ou no Twitter, @tforatto


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!