Reportar erro
Colunas

Inaugurando nova sede, Fox Sports tem extremos em qualidade na programação

Antenado

foxsports-novasederio.jpg
Canal tem os cenários mais bonitos da TV esportiva - Fotos: Divulgação
Redação NT

Publicado em 25/07/2016 às 18:38:44

Nesta segunda-feira (25), foi inaugurada no Rio de Janeiro a nova sede do Fox Sports, canal esportivo do grupo Fox que chegou ao país em 2012, fazendo muito barulho.

Até hoje, a emissora vem cumprindo sua promessa: fazer a TV paga esportiva pegar fogo em questão de disputa de audiência. Perdeu o Campeonato Inglês para a ESPN Brasil, é bem verdade. Mas em noite de Libertadores, é assustador: ninguém segura o canal, e com méritos, já que dedica o dia para falar do jogo em questão.

No ar, já dá para dizer que os novos cenários são os mais bonitos da TV paga esportiva. Acima de tudo, são imponentes. Mostra o poder do canal esportivo, o de maior audiência na TV paga da América Latina. O conteúdo, no entanto, tem ótimos e péssimos momentos.

De destaque positivo, temos programas como o "Bom Dia Fox" e o "Boa Tarde Fox", com destaque para o primeiro. Falar bem do "Boa Tarde" é um pouco de pleonasmo, já que Karine Alves, Nivaldo Prieto e Mauro Beting são perfeitos juntos. A grande surpresa é o "Bom Dia Fox", comandado por Felipe Motta, Helena Calil e Lívia Nepomuceno. Leve, equilibrado, bem claro nas informações que passa, virou um grande concorrente de qualidade ao também ótimo "Redação SporTV".

Os três apresentadores não se atropelam e têm química juntos, além de serem extremamente seguros e terem personalidade. Felipe Motta fala bem de todos os assuntos, e Lívia tem um estilo classudo, porém extremamente correto, que combina perfeitamente com o horário da manhã.

Já Helena Calil, dos três, é a melhor. Divertida, excelente no improviso e nas externas, ela hoje é, sem medo de errar, uma das melhores apresentadoras femininas de esporte na TV atualmente. É pra ficar de olho e torcer para ter mais espaço no futuro - e se seguir assim, terá tranquilamente.

Os problemas do Fox Sports ainda são programas exibidos em faixas estratégicas: hora do almoço e fim de tarde. O "Fox Sports Rádio" beira ao insuportável. Benjamin Back é muito carismático, e é a única coisa boa da atração. De restante, nada funciona. O debate tem um nível muito baixo e quase sempre desbanca para a discussão desenfreada.

Além disso, alguns absurdos e a parcialidade doem aos ouvidos. Nesta segunda (25), por exemplo, ao defender que o goleiro Cássio, do Corinthians, não deveria ser expulso em lance polêmico contra o Figueirense no último sábado (23), um dos debatedores disse que "futebol é pra macho".

Além de parcialidade, nesse caso houve machismo - e não foi em tom de brincadeira, e mesmo se tivesse sido, tal fala é absurda.

Porém, a posição do "Fox Sports Rádio" é confortável, já que pelo que se conta, é líder de audiência entre os programas de debate esportivo na hora do almoço. Mas em qualidade, está bem longe do "Seleção SporTV", do SporTV, e do "Bate-Bola Debate", da ESPN Brasil.

Outro programa que tem problemas é o "Expediente Futebol", mas não pelo seu conteúdo, já que o debate é agradável, mas sim pelo visual. É quase impossível ver o programa, devido ao tanto de informações que estão na tela. O telespectador não sabe pra onde olhar. É algo para ser corrigido, e pra ontem.

Com a nova sede, o Fox Sports inaugura uma nova fase. Espera-se que os problemas na grade diária, aproveitando a deixa, também sejam corrigidos. O público não o rejeita, já que o seu crescimento é evidente. Mas estes erros podem atrapalhar planos futuros.


Gabriel Vaquer escreve sobre mídia e televisão há vários anos. No NaTelinha, é responsável por reportagens variadas e especiais. Na coluna "Antenado", fala sobre TV aberta quando a necessidade pedir. Já no "Eu Paguei Pra Ver", às segundas, conta histórias curiosas sobre a TV por assinatura no Brasil. Converse com ele. E-mail: gabriel@natelinha.com.br / Twitter: @bielvaquer
 

TAGS:
Mais Notícias