Reportar erro
Colunas

O legado de Tiago Leifert no "Globo Esporte SP" e no jornalismo global

A coluna "Enfoque NT" analisa a trajetória do apresentador que se despede do programa com muita emoção nesta segunda (06)

tiagoleifert-ge.jpg
Tiago Leifert irá para o Entretenimento da Globo - Divulgação
Thiago Forato

Publicado em 06/07/2015 às 14:14:14

Com muita emoção, Tiago Leifert se despediu do “Globo Esporte São Paulo” nesta segunda-feira (06), migrando de vez para o entretenimento da Globo.
 
Quando Leifert começou a apresentar o programa da hora do almoço, mais precisamente no dia 12 de janeiro de 2009, poucos apostavam que ele chegaria tão longe no comando e ditando tendências dentro da emissora.
 
Acusado de “YouTubizar” o esportivo com um estilo informal cometendo uma série de “deslizes” para a alegria da internet e tendo a missão de retomar a boa audiência do “Globo Esporte”, que na época sofria com uma concorrência mais dura de “Chaves” (sempre ele), Tiago conseguiu imprimir sua maneira e sai por cima da atração.
 
Formado em Jornalismo e Psicologia pela Universidade de Miami, Leifert chegou a trabalhar em emissoras estadunidenses como a NBC, e assumiu o “Globo Esporte” sob os dizeres que era “apadrinhado” porque seu pai é diretor dentro do canal. Balela. Seis anos e meio podem atestar sua competência e mais do que isso, o telespectador deu seu crivo por voltar a assistir o “Globo Esporte SP” e colocá-lo de volta em pauta nas redes sociais, roda de amigos, etc.
 
Tiago trouxe consigo uma paixão que sempre nutriu: vídeo-games. Não raramente, o apresentador e editor do “Globo Esporte SP” deu espaço ao universo dos games no esportivo, e com suas brincadeiras e boas sacadas, conquistou para o programa um novo público, não só o masculino, aquele que gosta de futebol, mas também o da dona de casa, que passou a acompanhar o noticiário por ser “diferente”.
 
Resgatou o mais jovem por se sentir representado de alguma forma e solidificou a audiência “masculina padrão” da emissora por nunca destoar daquilo que a atração sempre teve de mais forte: o futebol.
 
Ditando moda
 
Chegar como aposta e com desconfiança e pouco tempo depois virar referência até para William Bonner, não é para qualquer um. E foi o que aconteceu. Numa premiação dos “Melhores do Ano” no “Domingão do Faustão”, há quatro anos, o âncora do “Jornal Nacional” havia declarado que Tiago contribuiu para que o “JN” adotasse uma linha mais informal e despojado, buscando se aproximar do público.
 
A receita do garoto recém-chegado deu certo e se transformou em referência. Em algo a ser buscado pelo jornalismo da Globo e ela como um todo. A tal da informalidade.
 
Nem Galvão conseguiu
 
Não é segredo pra ninguém que o sonho de Galvão Bueno sempre foi ter uma mesa redonda nos finais de domingo da Globo, mas quem conseguiu foi Tiago Leifert com o "Central da Copa", uma grande mesa reunindo o time de comentaristas da Globo, muita tecnologia e até artistas da casa.
 
Com a Copa do Mundo realizada na África do Sul em 2010, Tiago ficou responsável por comandar o “Central da Copa” nos domingos à noite da Globo e em dias de partidas da seleção brasileira. A atração foi repetida posteriormente em ocasiões especiais, bem como sua segunda edição no ano passado. 
 
O projeto também deu certo, com a mesma pegada do “Globo Esporte” e uma mini-plateia. A audiência correspondeu, bem como a do noticiário paulista nesses anos todos em que Tiago esteve à frente.
 
Encontros e despedidas
 
O último programa comandado por Tiago Leifert foi ao ar nesta segunda com direito a discurso emocionado no último bloco e poucas lembranças do que ele já realizou por lá. 
 
 
Muitos agradecimentos, principalmente ao telespectador, que foi o seu maior sensor e responsável por sua longevidade dentro do "Globo Esporte São Paulo". E a certeza de um trabalho bem executado.
 
O maior legado que Tiago conseguiu deixar foi esse. Mexer no que era “imexível”, mudar o “imutável” e quebrar o padrão estabelecido por anos a fio na empresa que trabalha. Convencer de que esse era o caminho, a grande alternativa.
 
Muitos podem não gostar do jornalista e apresentador, mas é inegável que ele teve uma parcela considerável e fundamental na transição de se fazer jornalismo dentro da Globo. E desejar que ele tenha sorte nessa nova empreitada no entretenimento do canal, estreando em agosto o programa "É de Casa" nas manhãs de sábado e continuando com o "The Voice Brasil".
 
 
Vale destacar que o "GE SP" será assumido a partir desta terça (07) por Ivan Moré, pupilo de Leifert e que deixou o "Esporte Espetacular" para este novo desafio.
 
 
Thiago Forato é jornalista, escreve sobre televisão há dez anos e assina a coluna Enfoque NT há quatro, além do "Memórias da Telinha", matérias e reportagens especiais no NaTelinha. Converse com ele: thiagoforato@natelinha.com.br  |  Twitter e Instagram: @tforatto
 
Mais Notícias