Reportar erro
Colunas

Enfoque NT: As mudanças e o planejamento zero do SBT

446705542903d96aba26872ef90a5d4b.jpg
"Carrossel" já será reprisada pelo SBT - Fotos: Divulgação
Thiago Forato

Publicado em 29/08/2013 às 17:27:17

Nem nos tempos de “Tarde de Amor”, o SBT exibiu tantas produções dramatúrgicas. A partir da próxima segunda-feira (2), com as reestreias de "Carrossel" e "Rebelde", a emissora contará com nada mais, nada menos, que sete produções, sendo cinco mexicanas e cinco reprisadas.

Ao colocar tudo isso de uma só vez, a boa audiência pode vir, é verdade. Afinal, “Marimar”, “Cuidado com o Anjo”, “Rubi” e “O Privilégio de Amar” estão garantindo bons índices, algumas até dando picos de liderança, graças ao declínio natural da “Sessão da Tarde”.

Agora... O que virá depois de todas essas novelas? O SBT tem acervo pra manter esses horários com a mesma competência? Provavelmente não. Talvez consiga pescar alguma trama por aí, como aconteceu com “Cuidado com o Anjo”, mas seria uma aposta, e a probabilidade de dar errado é grande. Até maior que a de dar certo.

Manter dois horários daria certa longevidade e segurança de boa audiência. No máximo, três. Agora, sete novelas diárias é muita coisa e até mesmo o canal Viva, da Globosat, detém menos reprises que o canal de Silvio Santos.

Planejamento zero

Nos últimos dias, o SBT promoveu algumas mudanças, como a extinção do “Astros”, “SBT Repórter”, “Amigos da Onça” (que segundo um dos “amigos”, terá uma terceira temporada) e o “Casos de Família”, que provocou um verdadeiro furdunço quando migrou para o horário nobre.
 


Diversos apresentadores da casa parabenizaram Christina Rocha pela “promoção”, o cenário foi reciclado e uma semana depois, simplesmente anunciaram que o programa acabaria. Um tiro no pé de dar dó, tamanho amadorismo e falta de planejamento. Com isso tudo, o “Programa do Ratinho” passou a ser exibido das 22h às 00h nas segundas e quartas.

O pior de tudo...

Foi a falta de respeito com o profissional Celso Portiolli. Com duas décadas de serviços prestados ao SBT, ele se consagrou em 1996 com o “Passa ou Repassa” substituindo Angélica. Há quatro anos, entrou no lugar de Gugu Liberato, no “Domingo Legal”.

De 20 anos pra cá, Portiolli passou por maus bocados. Esteve no freezer (nem vou dizer geladeira) por um período longo levando em conta seu exímio talento e ficou por outro tempo apresentando apenas ações de merchandising na “Sessão Premiada”. Pouco.
 


Seu trabalho mais notável foi o “Curtindo uma Viagem”, que foi líder de audiência em 2001 e 2002, causando dores de cabeça à Globo, e principalmente à Xuxa. E ainda assim, inexplicavelmente, ficou durante algum tempo completamente escondido e visto como “coringa”.

Agora, aconteceu de novo: a programação dominical mudou depois de quatro anos e quem mais sofreu foi Portiolli e seu “Domingo Legal”. Perdeu duas horas de duração, ficando apenas das 11h às 13h. Triste como um profissional, mesmo com duas décadas de casa, sem reclamar para a imprensa ou coisa do tipo, possa ser tão desrespeitado e pouco valorizado.

Fãs repudiam mudanças

Os “SBTistas” do blog SBTpedia, criado por fãs da emissora, fizeram uma nota destacando que são terminantemente contra as mudanças praticadas nos últimos dias.

Nem os próprios admiradores estão satisfeitos e se mexem diante dos absurdos que estão sendo praticados na Anhanguera.


Contatos do colunista: thiagoforato@natelinha.com.br - Twitter: @Forato_
 

Mais Notícias