Reportar erro
Cobrança alta

Cátia Fonseca fica indignada com preço de conta de luz: "Estão loucos"

Apresentadora falou que vai buscar entender o que aconteceu

Cátia Fonseca no Melhor da Tarde
Cátia Fonseca falou da conta de luz - Foto: Reprodução/Band
Redação NT

Publicado em 11/02/2021 às 15:15:00

Cátia Fonseca relatou que sua conta de luz ultrapassou a marca de R$ 3 mil, mas que irá buscar entender o motivo do gasto. Durante o Melhor da Tarde, desta quinta-feira (11), a apresentadora aconselhou o público a não deixar as contas de energia elétrica e água no débito automático. Ela também criticou o aumento do botijão de gás.

“Nosso apartamento, a gente gastava mais ou menos R$ 350,00 e R$ 400,00 por mês. Aí depois, época de fim de ano, ficamos mais em casa, porque a gente não tava saindo pra trabalhar, subiu pra R$ 550,00, R$ 600,00. Vocês estão sentados? Esse mês, referente ao gasto de janeiro, [chegou] R$ 3.540,00. Eles estão ficando loucos. A previsão de gasto pra fevereiro é de R$ 1.400,00”, contou.

Ela explicou que vai precisar procurar a ENEL – responsável pela distribuição de energia elétrica em São Paulo – para entender o motivo da cobrança ter sido tão alta.  “Agora a gente tem que entrar em contato com a ENEL, ir até o relógio de luz, anotar direito o número”, comentou.

Cátia aproveitou para aconselhar os telespectadores. A apresentadora pediu que o público não coloque as contas de luz e água em débito automático. “Se você colocar em débito automático, eles não devolvem o dinheiro. Eles vão descontando esse dinheiro [com as outras contas]”, completou.

Cátia Fonseca reclama do valor dos combustíveis

A apresentadora também ficou insatisfeita ao descobrir que os valores dos combustíveis voltaram a subir em todo país. “Com o aumento dos combustíveis, o diesel, a gasolina e etanol, a gente tem o aumento de tudo, porque aumenta o transporte e o frete. Nós também não temos o uso de ferrovias”, desabafou. “Não consigo entender. Nós estamos numa pandemia, como esses caras fazem ainda isso?”, acrescentou.

Ela também está irritada com o preço do botijão de gás. “O gás já está o olho da cara. Cem reais o botijão de 13 quilos”, lamentou. “Toda a dificuldade que a gente sabe que os donos de restaurantes e mercados estão passando é porque está difícil encontrar material. Tá difícil de encontrar cliente e continua pagando esse tanto de imposto”, completou.



Mais Notícias