Reportar erro
É pra rir?

Amigos de Calabresa, humoristas usam pênis de Melhem para rir de assédio

Danilo Gentili, Oscar Filho e Léo Lins tentaram fazer graça com violência sexual

Danilo Gentili, Léo Lins e Dani Calabresa no filme Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro
Danilo Gentili, Léo Lins e Dani Calabresa no filme Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro - Foto: Reprodução
Paulo Pacheco

Publicado em 04/12/2020 às 21:10:01

As denúncias de Dani Calabresa contra Marcius Melhem vieram à tona em dezembro de 2019, porém somente um ano depois a atriz ganhou apoio público, a partir da reportagem da revista piauí com detalhes repugnantes de episódios de violência sexual. A descrição dos casos, que revoltou fãs e colegas de Calabresa, parece não ter chocado os velhos amigos de stand up comedy da humorista, que usaram o pênis de Melhem para rir do assédio.

Antes de mencionar as publicações dos humoristas, vale reproduzir um trecho da reportagem da piauí sobre a reação de Calabresa após o episódio envolvendo o pênis de Melhem: "Ao reencontrar os colegas no salão, Calabresa teve uma crise de choro. Os atores Luis Miranda e George Sauma ofereceram a ela um copo d’água e confortaram a amiga".

Danilo Gentili, que conhece Calabresa há mais de 15 anos, distribuiu tweets (piadas, na versão do comediante) sobre o órgão genital de Melhem, em função de um episódio envolvendo o ex-diretor da Globo descrito na reportagem da piauí. Em uma das publicações, o apresentador do SBT fez trocadilhos com o programa Os Caras de Pau, protagonizado por Melhem e Leandro Hassum. Ele ainda aproveitou a oportunidade para atacar jornalistas e políticos de esquerda, tentando associar o assédio ao "politicamente correto".

Oscar Filho, que trabalhou com Calabresa no teatro e no extinto CQC (Band), defendeu Calabresa em um tweet para depois brincar com o pênis de Melhem, que segundo a piauí provocou choro na atriz. "Tenho empatia, mas sou humorista", justificou o ato de rir de um assédio.

Léo Lins, que se autointitula "rei do humor negro", comparou Melhem a Bill Cosby, condenado pela Justiça norte-americana por agressão sexual após dezenas de denúncias. Diogo Portugal preferiu outro alvo: Leandro Hassum, que na construção da dita piada emagreceu para não ter mais seios e, consequentemente, não ser assediado pelo ex-colega.

Os tweets citados estão no final deste texto, mas outras publicações dos humoristas não serão compartilhadas em função do teor das ditas "piadas".

Revista detalha assédios de Marcius Melhem na Globo

Em reportagem publicada nesta sexta-feira, a revista piauí detalhou os assédios praticados por Melhem enquanto era diretor de humor da Globo, principalmente em torno de Dani Calabresa.

Com a contribuição de várias pessoas, que presenciaram ou mesmo ouviram os fatos da própria humorista, foi feita uma grande retrospectiva contando os vários momentos em que o humorista teria encurralado a então colega de trabalho. Começando pela comemoração do episódio 100 do Zorra, que tinha acabado de passar por uma reformulação. A festa aconteceu em 2017 e gerou constrangimentos.

Marcius teria tentado a todo custo um contato mais íntimo com Dani, que sempre se esquivou. Seja desde uma tentativa de beijá-la ou mesmo em momentos que ele chegou a tirar o órgão sexual para fora das calças. Isso teria causado uma crise de choro por parte da profissional, e foi confortada por outros colegas do humorístico.

Desde então, os assédios teriam se repetido, e com as recusas, o então diretor teria passado a complicar a vida da famosa, sabotando seus projetos. Foi então que Calabresa se reuniu com Monica Albuquerque, então diretora de Desenvolvimento e Acompanhamento Artístico (DAA), e teria ouvido que acionaria os responsáveis pelo programa de compliance, que zela pela aplicação de normas éticas e de conduta.

A coragem de Dani fez com que outras vítimas tivessem coragem de também contarem o que passaram. E após um período afastado do seu cargo, em função da cirurgia da filha, Melhem foi oficialmente desligado.

 



Mais Notícias