Reportar erro
Fox Sports Rádio

Advogada de Robinho bate boca na TV e diz que jogador não pode ser chamado de "condenado"

Atleta, condenado em primeira instância por estupro na Itália, foi contratado pelo Santos

Flávio Gomes e Marisa Alija, advogada de Robinho, discutem no Fox Sports Rádio
Flávio Gomes e Marisa Alija, advogada de Robinho, discutem no Fox Sports Rádio - Foto: Reprodução/Fox Sports
Paulo Pacheco

Publicado em 13/10/2020 às 17:57:01

Advogada de Robinho, Marisa Alija participou do Fox Sports Rádio nesta terça-feira (23) para explicar a situação de seu cliente na Justiça. O jogador, recém-contratado pelo Santos, foi condenado em primeira instância na Itália a nove anos de prisão por um caso de estupro ocorrido em 2013. Ele se diz inocente.

Durante o programa do Fox Sports, a defensora do atleta discutiu com os jornalistas Osvaldo Pascoal e Flávio Gomes e advertiu para o uso da palavra "condenado" para classificar a condenação de seu cliente, já que cabe recurso.

"De acordo com o artigo 27 da Constituição italiana, com o artigo quinto da Constituição brasileira e o artigo oitavo do Tratado de Direitos Humanos, ele não pode ser considerado condenado. A palavra 'condenada' já está sendo usada de forma ilegal. Enquanto ele não for condenado em todas as instâncias, que é o que a maioria da imprensa quer, pelo visto, ele não pode ser considerado condenado nem a imprensa pode usar a palavra 'condenado'", alertou a advogada.

Flávio Gomes perguntou qual palavra ela gostaria que os jornalistas usassem em vez de condenado. A advogada respondeu: "Tecnicamente, ele foi condenado, ele é acusado, mas ele sofreu uma perda na primeira instância, mas ainda tem pelo menos dois graus de recurso. Ele só pode ser considerado, por lei, condenado depois que ele não tiver mais trânsito em julgado, recurso cabível".

Advogada de Robinho bate boca no Fox Sports

Em outro momento, a discussão esquentou quando Flávio Gomes reclamou que a advogada chamou jornalistas de "lacradores" por chamarem Robinho de "condenado". "Quem está tentando lacrar é a senhora ao usar esse termo, me desculpe", criticou o jornalista.

Marisa Ajila retrucou citando a jornalista Ana Thaís Matos, da Globo, que desativou o Twitter na manhã desta terça após criticar duramente a contratação de Robinho pelo Santos.

"Acho que a carapuça serviu para você. A sua amiga Ana Thaís Matos acabou de desativar o Instagram porque expressamente falou: 'Robinho estuprou a vítima com um amigo'. Não satisfeita, colocou: 'Acabou na Itália, processo acabado'. A sua fala antes de eu entrar no programa, você fala: 'Ele tem que pagar pelo que fez'. Você já fez um julgamento", disse ela.

Flávio Gomes negou ter dito que Robinho tem que pagar pelo que fez, mas a defensora do jogador reforçou a acusação contra ele: "Eu te dou até amanhã, você revê o que falou e fala que estou errada ou se retrate que ainda dá tempo".

Mais Notícias