Tokusatsu

Band tira Kamen Rider Black do ar após uma semana por entrave com dublagem

Série que reestreou na TV no último domingo será substituída por Jaspion

Band tira Kamen Rider Black do ar após uma semana por entrave com dublagem
Kamen Rider Black (Foto: Divulgação)

Publicado em 03/09/2020 às 19:40:00

Por: Paulo Pacheco

Durou apenas uma semana a reestreia de Kamen Rider Black na TV brasileira. Após a exibição dos dois primeiros episódios, no último domingo, a Band precisará tirar a série japonesa do ar a partir deste final de semana.

Segundo a Sato Company, detentora dos direitos, a exibição está suspensa e será substituída por Jaspion, que havia sido substituída por Kamen Rider Black. A empresa divulgou a mudança em suas redes sociais.

O NaTelinha apurou que um dublador do tokusatsu (como é chamado este gênero de séries japonesas) não entrou em acordo com a Sato pelo valor pago para a reexibição do material. A produção, que fez sucesso no Brasil nos anos 90, tornou dubladores famosos e reconhecidos em eventos sobre cultura pop japonesa.

A distribuidora precisou negociar os direitos da dublagem de todas as produções que resgatou para a TV, como Changeman, Jiraiya e Jaspion. Com Kamen Rider Black, a negociação emperrou com a exibição em andamento.

Procurado pelo NaTelinha, o presidente da empresa, Nelson Sato, confirma o entrave e diz ter acionado seus advogados para solucionarem a questão. Realista, ele cogita que Kamen Rider Black pode não voltar ao ar.

"Pode voltar ou não, se não der acordo. Estou perdendo dinheiro para a pirataria. Com isso, não reclamam. Quando fazemos sério, a vontade de poucos acaba atrapalhando o desejo da maioria", lamenta o empresário.

Sato investiu pesado para trazer Kamen Rider Black de volta ao Brasil. Produzida em 1987, a série estreou na extinta Manchete em abril de 1991 e chamou a atenção das crianças pelo protagonista ser um mutante, com aspecto de gafanhoto, diferente dos heróis com armaduras metálicas, como Jaspion.

Para o relançamento, estavam programadas a exibição do final inédito (o episódio 51), dublado há dois meses no estúdio Centauro, em São Paulo, e um tema de abertura em português, interpretado pelo cantor Ricardo Cruz. Por falha técnica, a Band levou ao ar a música em japonês. A versão brasileira está disponível no YouTube.

O NaTelinha entrou em contato com o dublador Élcio Sodré, intérprete de Kamen Rider Black nos estúdios Álamo, em 1991, e na Centauro, em 2020. O dono da voz do protagonista da série limitou-se a dizer: "Espero que ele cumpra a lei. Todos queremos assistir a série!".

Em seguida, publicou no Instagram uma frase do filósofo chinês Confúcio: "Ver o que é justo e não agir com justiça é a maior das covardias humanas". Fãs da produção japonesa interpretaram que Élcio foi o dublador que recusou a oferta da Sato Company, com a consequente interrupção da exibição da série na TV.

A Sato Company, procurada pela reportagem, não expôs o profissional de dublagem por questões jurídicas.  


Siga o NaTelinha nas redes sociais

Reportar erro

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!