Drama

Sucesso nos anos 1970, cantora sertaneja revela alcoolismo no Domingo Show

Nalva Aguiar chegou ao topo das paradas com sucessos como Tá de Mal Comigo e Beijinho Doce


Nalva Aguiar e Geraldo Luís
Nalva Aguiar falou sobre drama pessoal no Domingo Show (Foto: Reprodução)

Domingo Show, na Record TV, exibiu neste domingo uma entrevista com a cantora Nalva Aguiar, pioneira da música sertaneja na década de 1970. No programa comandado por Geraldo Luís, a artista falou sobre o período no ostracismo, motivado, entre outros fatores, por um drama pessoal: o alcoolismo.

Segundo Nalva Aguiar, no auge de sua carreira, ela se tornou dependente de álcool, em especial de uísque. Para sair da situação, a artista revelou a Geraldo Luís que precisou passar por um tratamento, pois teve dificuldades em abandonar a bebida.

Com o tempo, contudo, passar a lidar bem com o álcool e não eliminou de sua vida. "Bebo socialmente, se vou em uma festa, em um casamento. Mas acabou, Deus me livre. Até arrepio quando você fala", disse a cantora, diretamente de sua chácara.

Nalva foi enfática ao dizer que nunca experimentou maconha. "Uma coisa tenho certeza: nunca vi maconha, não conheço. Se fumar perto de mim, não sei (o que é)", declarou. Ela também passou longe de outras drogas. "Nunca na minha vida, nem sei o que é isso. Sou muto sincera, não devo nada a ninguém, então não tenho o que esconder", disse a Geraldo Luís.

No palco do Domingo Show, Nalva Aguiar apareceu caracterizada como em seus tempos áureos, em que foi precursora em disseminar a música sertaneja pelo Brasil. Ela cantou Beijinho Doce, música das Irmãs Galvão, que também marcou sua trajetória.

O programa promoveu o reencontro da cantora com seu amigo e parceiro de longa data, Renato Teixeira. O compositor revelou sua gratidão a Nalva, responsável por levar algumas de suas letras ao topo das paradas de sucesso, como Amora e Doradinho.  "São quase 20 musicas. Ela foi a cantora que mais me gravou. Eu nao era nada", disse o veterano.

Mais Notícias