Polêmica

Marco Feliciano acusa Dória de usar TV Cultura para ato político e envolve Luciano Huck

Deputado federal detonou possível campanha antecipada do governador e do apresentador da Globo

Marco Feliciano acusa Dória de usar TV Cultura para ato político e envolve Luciano Huck
Luciano Huck e João Dória foram criticados - Foto: Montagem

Publicado em 16/08/2019 às 17:57:00 ,
atualizado em 17/08/2019 às 00:30:02

Por: Redação NT

O governador do estado de São Paulo e ex-apresentador do reality show “O Aprendiz”, João Dória, virou alvo do deputado federal Marco Feliciano. O missionário disse que o político tem usado a TV Cultura para aumentar sua popularidade numa tentativa de se tornar presidente da República. Luciano Huck também foi apontado como um possível aliado do Psdbista.

O pastor e parlamentar declarou que Dória tem usado o canal estatal abrindo espaço para que adversários do presidente Jair Bolsonaro possam detonar o Governo Federal, numa clara tentativa de enfraquecer o militar da reserva e se tornar uma figura forte nas eleições presidenciais de 2022.

“O governador tem usado a TV Cultura, uma concessão pública, para sua precoce campanha”, disparou Feliciano. “Todos reconhecem os esforços do presidente Jair Bolsonaro para levar adiante o ajuste das contas públicas. Ele trabalha para evitar o colapso da máquina estatal, mas tal qual Judas ou Brutus, traidores modernos usam das mais vis artimanhas para minar seu governo com mentiras e críticas genéricas de cunho ideológico. Me refiro ao ex-BolsoDoria que, na campanha ao governo do estado de São Paulo, num esforço imenso para reverter o quadro eleitoral, bolsonarizou sua campanha”, acrescentou o deputado.

“O governador João Dória tem usado a TV Cultura, uma concessão pública de propriedade do governo do estado, para sua precoce campanha à Presidência da República. Ele vem franqueando suas câmeras para notórios adversários do presidente Bolsonaro fazerem críticas pessoais e ideológicas que nada contribuem para o bem comum. A não ser, claro, para pavimentar seu caminho insano à Presidência”, continuou o político.

Sobrou até para Luciano Huck, que estaria sendo usado para que Dória se torne mais popular e entre em regiões mais pobres, como o Nordeste e o Norte. “Lembro também que Doria tem um parceiro que age separadamente, mas com os mesmos propósitos e métodos. Falo de Luciano Huck, pau mandado da Globo para dividir votos em 2022 e viabilizar uma candidatura de seu interesse. Em evento recente em Vila Velha/ES, Huck disse ‘Esse governo é o último capítulo do que não deu certo’. Sim, não deu certo para ele que vai ter de explicar a compra de um jato da Embraer com dinheiro público do BNDES a juros de pai (Lula) para filho”, detonou.

João Dória e Luciano Huck, em entrevistas, posicionaram-se favoráveis a um governo liberal e que defenda os Direitos Humanos, desde que não tire a força dos policiais. Em 2018, os dois foram cogitados como possíveis candidatos à presidência, entretanto, o PSDB escolheu Geraldo Alckmin para representar o partido e Huck resolveu continuar como apresentador da Globo.

Marco Feliciano é abertamente favorável ao governo de Jair Bolsonaro, mas também figura cativa em programas de televisão. Confira o texto completo do deputado federal clicando aqui.

A TV Cultura enviou nota oficial ao NaTelinha.

Confia na íntegra:

"A Fundação Padre Anchieta e seus veículos de comunicação, incluindo a TV Cultura, atuam de forma independente, plural e imparcial, com autonomia para definir suas linhas editoriais e pautas jornalísticas sem qualquer interferência externa, seja ela proveniente do Governo do Estado de São Paulo – como acusado pelo deputado federal Marco Feliciano - ou de qualquer outra instância de poder.

Considerada referência internacional em jornalismo público, a emissora tem um compromisso com a democracia e, consequentemente, com a diversidade de pensamentos e correntes ideológicas. Visando a construção de uma sociedade mais tolerante e desenvolvida, a TV Cultura se coloca como instrumento de diálogo entre posições antagônicas neste momento polarizado que o País atravessa. Neste sentido, são convidados para seus programas aqueles tidos como protagonistas da agenda brasileira atual, tanto da situação, quanto da oposição.

Prova disso é que, apenas neste ano, o Roda Viva entrevistou cinco ministros do Governo Bolsonaro – Ricardo Salles, Osmar Terra, Tarcísio Freitas, Luiz Henrique Mandetta e Tereza Cristina. O próprio presidente foi entrevistado pela atração em 2018, durante campanha eleitoral, e voltou a ser convidado a ocupar o centro do Roda Viva na última semana, por meio de sua assessoria de imprensa.

Assim sendo, a Fundação Padre Anchieta lamenta as opiniões expressadas pelo deputado e reafirma o comprometimento permanente de suas emissoras com a informação isenta e plural."


publicidade

LEIA TAMBÉM

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!