Reportar
erro
Comercial

Governo Bolsonaro planeja "central de mídia" para negociar campanhas

Ideia é buscar descontos com os veículos de comunicação; Globo deve ser impactada


Jair Bolsonaro e uma televisão quebrada com o logo da Globo
Jair Bolsonaro considera a Globo sua inimiga - Foto: Montagem
Por Naian Lucas, com Daniel César

Publicado em 09/05/2019 às 16:39:42

Fabio Wajngarten, secretário de Comunicação da Presidência de Jair Bolsonaro, trabalha ao lado dos ministérios e estatais para economizar e manter a divulgação das campanhas do Governo Federal. Para isso, o profissional estuda a criação de uma central de mídia para negociar com os veículos de comunicação.

A ideia é saber, com antecipação, quais os projetos dos ministérios e estatais para os próximos seis ou 12 meses e qual impacto desejado pelas pastas e empresas públicas. Desta forma, ele e sua equipe criarão um plano e negociarão os preços com o mercado, assim como fazem as multinacionais.

Segundo informações publicadas pelo site Poder 360, que cobre os bastidores políticos, a União tem como objetivo economizar entre R$ 400 e R$ 600 milhões de um montante que atualmente passa de R$ 1 bilhão por ano.

O método adotado atualmente pelos ministérios e estatais é de independência. Cada pasta e empresa pública cria sua campanha e negocia separadamente com os veículos de comunicação, o que deixa a conta mais cara. Com a junção do serviço, o governo irá cobrar descontos na veiculação das propagandas.

Boa parte das emissoras vai ganhar com esse novo modelo. A União exigirá descontos na hora de fechar contrato, contudo, como os canais terão maior previsibilidade sobre quais campanhas vão entrar ao longo da sua grade, ficará mais fácil de realizar planejamento financeiro em cima disso.

A Globo deve ser mais impactada de maneira negativa neste novo modelo, já que é a única que não dá desconto para ações governamentais. Porém, para não ficar sem publicidade, é provável que a emissora ceda.

O Governo Federal não se pronunciou oficialmente sobre o assunto e não há detalhes de quando - caso a ideia saia do papel - o plano será colocado em prática.

Mais Notícias