Reportar erro
Eita

João de Deus é preso um dia depois da Netflix lançar série sobre a vida do médium

Ex-líder religioso voltou para a prisão

João de Deus em documentário da Netflix
João de Deus foi preso - Foto: Reprodução/Netflix
Redação NT

Publicado em 26/08/2021 às 17:01:00

O médium João de Deus, 79 anos, foi preso nesta quinta-feira (26), em Anápolis (GO). Ele é acusado de estupro de vulnerável envolvendo oito mulheres. A prisão ocorreu um dia depois da Netflix lançar uma série documental chamada João de Deus: Cura e Crime.

A denúncia foi feita pelo Ministério Público de Goiás em 13 de agosto para a Justiça do estado, que acatou o pedido e decretou que ele deixasse o regime aberto e voltasse para a prisão. O mandado foi assinado pelo promotor de Justiça Luciano Miranda Meireles. Ele é responsável por coordenar a força-tarefa que investiga as acusações contra o ex-líder religioso desde 2018.

João foi denunciado 14 vezes e já recebeu quatro condenações, por violação sexual mediante fraude, na modalidade tentada, violação sexual mediante fraude e dois estupros de vulneráveis, cinco estupros de vulneráveis, violação sexual mediante fraude contra uma vítima, posse irregular de arma de fogo de uso permitido e posse irregular de arma de fogo de uso restrito.

Na quarta (25), ficou disponível para assinantes da Netflix o documentário João de Deus: Cura e Crime. A equipe da produção viajou para Abadiânia (GO) e visitou a Casa Dom Inácio de Loyola. O público pode ver como o curandeiro cometia as ações que foi acusado e passou a ficar conhecido como um gângster no município.

Denúncia contra João de Deus foi feita a Pedro Bial

Em 2018, a coreógrafa holandesa Zahira Mous denunciou o abuso sexual sofrido por ela pelo médium em entrevista ao programa Conversa com Bial. Após a exibição do relato, centenas de novas acusações vieram a público, levando a prisão de João de Deus.

O Globoplay disponibilizou a série Em Nome de Deus, que revela a vida paralela do ex-líder espiritual, com uma ampla rede de proteção local e crimes graves envolvendo lavagem de dinheiro, homicídio e abuso sexual.

Roteirizada por Camila Appel e Ricardo Calil, a série é conduzida por Pedro Bial. A produção traz entrevistas com as vítimas e celebridades que já foram próximas do médium.

Mais Notícias