Reportar erro
Nostalgia

Há 40 anos Globo ressuscitava Odorico Paraguaçu e estreava a série O Bem Amado

Série ficou quatro anos no ar e foi uma spinoff da novela

Cena de O Bem Amado com Odorico Paraguaçu
O Bem Amado voltou como série na Globo em 1980 - Foto: Divulgação
Daniel César

Publicado em 22/04/2020 às 06:59:00

Nos EUA pode ser muito comum uma produção nascer como uma espécie de extensão de outra, os chamados spinoffs, mas no Brasil isso não é tão comum, mas aconteceu em 1980, quando a Globo aceitou ressuscitar o personagem Odorico Paraguaçu para estrear a série O Bem Amado.

Em 22 de abril de 1980, há exatos 40 anos, ia ao ar o episódio A Ressurreição de Odorico Paraguaçu, primeiro episódio da série O Bem Amado, que continuava a história da novela homônima escrita por Dias Gomes em 1973. Para colocar o spinoff no ar, o autor optou por trazer de volta à vida o protagonista da história, morto no último capítulo da novela.

Com 220 episódios, que ficaram no ar por quatro anos, a série acompanhou a vida do prefeito corrupto de Sucupira e que mostrava a metáfora das administrações públicas no período de Ditadura Militar. A trama contou com a presença de seus dois principais protagonistas, Paulo Gracindo como o prefeito Odorico Paraguaçu e o vilão Zeca Diabo, vivido por Lima Duarte e considerado, ainda hoje, um dos personagens mais importantes da dramaturgia brasileira.

Dias Gomes optou em transformar O Bem Amado numa série episódica em que cada situação era baseada em fatos reais que o autor lia nos jornais e enfocavam a corrupção de administradores públicos. A crítica social da série foi tão forte, com o Brasil já conquistando abertura da Ditadura que, quando Goubery de Couto e Silva, chefe de gabinete do presidente João Figueiredo, afirmou em agosto de 1981 durante entrevista. “Não me perguntem nada. Acabo de deixar Sucupira”.

O Bem Amado

Em 2010, comemorando os 30 anos da série, Guel Arraes dirigiu a versão cinematográfica de O Bem Amado, cujo personagem principal dessa vez foi vivido por Marco Nanini, enquanto José Wilker interpretou o Zeca Diabo.

O filme contou com o roteiro do próprio Guel Arraes e de Cláudio Paiva e no ano seguinte a Globo lançou a produção em formato de minissérie com quatro episódios.

Mais Notícias