Da Espanha para o mundo: o fenômeno "La Casa de Papel"

"La Casa de Papel" conquistou o público, principalmente o brasileiro

Divulgação/Netflix

Publicado em 19/02/2018 às 10:15:59 ,
atualizado em 19/02/2018 às 11:00:31

Por: Thiago Forato

Uma história frenética, um script conciso e performances de alta tensão. Esses foram os ingrediantes com os quais Álex Pina criou "La Casa de Papel", série espanhola que ganhou o mundo pela Netflix.

Um dos maiores sucessos não norte-americanos nos últimos tempos ficou evidente no Brasil no último Carnaval. Nos blocos principalmente em São Paulo, a roupa usada pelos personagens ganhou as ruas.

"La Casa de Papel" foi lançada sem muito alarde no início de 2018, mas logo fez sua popularidade. Atualmente, a série ocupa o 42º lugar na lista de séries mais populares do IMDB.

Na Espanha, ela foi lançada com 15 episódios, mas a Netflix reeditou os capítulos, e eles se transformaram em nove na primeira temporada. A segunda com os seis episódios restantes, chega em abril.

A história começa com o assalto à Fábrica Nacional e Moeda e Selo, onde o dinheiro é impresso. O objetivo? Roubar 2,4 bilhões de euros. O assalto planejado pelo professor, com execução perfeita dos oito assaltantes.

A série fez sucesso com diversas personalidades, incluindo o jogador Neymar Jr.

Originalmente lançada em maio do ano passado pela rede Antena 3, da Espanha, seu sucesso surpreendeu os próprios atores, que compartilham o feito em suas redes sociais.

Não é o primeiro caso de ficção espanhola que tem seu "prazo de validade" estendido, como destacou o jornal espanhol El País. Títulos como o "Velvet" e "Grand Hotel" ficaram ainda mais populares tanto nos Estados Unidos como na América Latina.

A presença da Netflix em 190 países e seus mais de 110 milhões de usuários prolonga a vida útil de determinados produtos, e alguns canais começam a se aproveitar disso.

O misto de suspense, drama, ação, romance, roubo, dinheiro e armas tornam "La Casa de Papel" uma das séries mais populares do momento, monopolizando a tela do espectador, principalmente do brasileiro.



publicidade

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade