Pantanal

Entenda por que os bebês recém-nascidos estão "gigantes" nas novelas da Globo

Após incidente em gravação, emissora só grava com bebês maiores e é preciso autorização de juiz


Maria Marruá (Juliana Paes) e Madeleine (Bruna Linzmeyer) deram à luz bebês considerados "gigantes" para serem recém-nascidos
Maria Marruá (Juliana Paes) e Madeleine (Bruna Linzmeyer) deram à luz bebês considerados "gigantes" para serem recém-nascidos - Reprodução/Globo
Por Marcela Ribeiro

Publicado em 07/04/2022 às 16:27:00,
atualizado em 08/04/2022 às 17:40:02

O capítulo de Pantanal da última terça-feira (5) exibiu o nascimento de dois bebês: Jove, o filho de Madaleine (Bruna Linzmeyer) com José Leôncio (Renato Góes) e Juma, filha de Maria Marruá (Juliana Paes) com Gil (Enrique Diaz). As cenas dos partos, as dores e solidão dessas mulheres impactaram e emocionaram o público, mas, os tamanhos dos bebês chamaram a atenção e viraram assuntos nas redes sociais.

Como elas deram à luz bebês tão gigantes? O assunto virou motivo de piada e Juliana Paes explicou em uma página do Instagram que a Globo só grava com bebês a partir de seis meses de vida. "Isso é uma treta enorme. Hoje em dia não é mais permitido termos bebês com menos de seis meses em cena, para proteção dos babys, então a gente se joga na licença poética", explicou. "Bebês muito recém-nascidos realmente não podem correr riscos, concordam? A gente que lute! Kkkk", completou a atriz.

O NaTelinha procurou a Globo para saber quais são as regras e exigências para gravar cenas com bebês e a partir de que idade eles podem participar das novelas, mas não obteve retorno até o momento.

No caso do bebê de Madeleine, a produção usou um boneco que simulou o bebê recém-nascido, criado por computação gráfica. Bruna Linzmeyer, que tem exibido os bastidores de Pantanal em suas redes sociais, mostrou o boneco e brincou: "O alien que eu pari".  Os movimentos são feitos com efeitos especiais e, apesar de toda tecnologia, muita gente estranhou o aspecto de bebê-robô usado em cena.

Na semana passada, um bebê "gigante" recém-nascido virou assunto dos telespectadores de Além da Ilusão nas redes sociais.

Globo teve incidente com bebê no passado nos bastidores de gravação

Entenda por que os bebês recém-nascidos estão \"gigantes\" nas novelas da Globo

Além de ter que recorrer à autorização do juiz para gravar cenas com bebês e crianças, as produções de TV e cinema precisam aguardar o retorno dos magistrados, o que algumas vezes leva dias e até meses. A Globo passou a ter mais cuidado em cena e optar por bebês maiores após um incidente nos bastidores da novela A Força do Querer (2017). Uma criança de três meses sofreu hipotermia e precisou ser internada após gravar uma cena próxima a um rio. Com isso, a emissora redobrou os cuidados, grava com nenéns maiores quando necessário, segue todas as regras da legislação e recorre a boneco e tecnologia sempre que possível.

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal Superior do Trabalho (TST), "a Convenção, no artigo 8º, diz que a autoridade competente pode, mediante licenças concedidas em casos individuais, permitir a participação em representações artísticas. Dessa forma, o trabalho artístico de crianças e adolescentes pode ser autorizado por um Juiz de Direito".

O TST editou uma cartilha sobre Trabalho Infantil que afirma ainda que o alvará judicial deverá exigir o acompanhamento da criança ou adolescente por responsável legal e a "garantia de assistência médica, odontológica e psicológica, sempre que necessária ou permanentemente, quando o caso específico recomendar".

Uma fonte ouvida pela reportagem afirma que um atestado médico deve ser apresentado também para a liberação dessas gravações:

"Ultimamente é cada vez mais difícil obter isso para bebês recém-nascidos e os próprios produtores de elenco optam por bebezinhos maiores que já tenham tomados mais vacinas por questão de segurança também."

Participe do nosso grupo e receba as notícias mais quentes do momento.

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do Telegram.

Participe do grupo
Mais Notícias