Reportar erro
Em 2003

Marcos Pasquim revela que pediu folga durante Kubanacan: "Estava exausto"

Aos 51 anos, ator falou sobre trabalho na novela que chega em dezembro ao Globoplay

Marcos Pasquim em cena da novela Kubanacan, que chega ao Globoplay em dezembro
Em Kubanacan, Marcos Pasquim deu vida a três personagens: Esteban, Adriano e León - Foto: Reprodução/Globo
Redação NT

Publicado em 15/11/2020 às 15:15:00

A novela Kubanacan, sucesso de Carlos Lombardi exibido em 2003, entra em cartaz no Globoplay a partir de 7 de dezembro. Ator principal da trama, Marcos Pasquim relembrou o trabalho exaustivo como Esteban, o Pescador Parrudo, em entrevista divulgada neste domingo (15). Ele revelou que chegou a pedir um descanso durante a novela.

"Eu não tinha vida. Eu comia e respirava a novela. Fazia vários personagens. Contracenei com quase todo o elenco da Globo e estava sempre fugindo da polícia, fazendo cenas de ação. Lembro que, com três meses de gravação, eu estava exausto e pedi para o autor me dar um alívio", recordou Marcos Pasquim em entrevista ao site da colunista Patricia Kogut.

Ele relatou ter sugerido a Carlos Lombardi que o personagem levasse um tiro e entrasse em coma. O pedido foi atendido pelo novelista. "Só que, a partir daí, ele começou a duelar mentalmente com o lado sombrio dele, o Dark Esteban. Então, foram gravações intermináveis num ringue de boxe em que eu lutava comigo mesmo."

"Ali eu aprendi que devemos tomar muito cuidado ao pedir alguma coisa para o autor da novela", brincou o ator. Para viver o misterioso Esteban e seus dois sósias, o atrapalhado Adriano e o cruel León, o intérprete teve que aprender artes marciais e a manejar armas.

"Tirar a camisa numa cena específica ou outra ainda dá", avaliou Marcos Pasquim

Marcos Pasquim revela que pediu folga durante Kubanacan: \"Estava exausto\"

Aos 51 anos, Marcos Pasquim respondeu se teria pique para encarar o mesmo desafio. "Não dá mais para fazer aquelas cenas todas como eu fazia. Mas, claro, tirar a camisa numa cena específica ou outra ainda dá. Eu cuido da minha saúde, da minha alimentação e do meu sono. Acho que o corpinho ainda aguenta", avaliou.

Com uma história inventiva e, por vezes, confusa, Kubanacan registrou boa audiência para as 19h da Globo em 2003, o que refletiu em sua duração no ar: 227 capítulos, de maio de 2003 a janeiro de 2004. Também angariou uma legião de fãs que, 17 anos depois, pediam sua reprise na TV ou inclusão no Globoplay por meio das redes sociais.

Antes de Kubanacan, a plataforma de streaming apresenta Top Model (1989), de Antônio Calmon e Walther Negrão, em 23 de novembro. Dezembro também será o mês da estreia de Felicidade (1991), trama assinada por Manoel Carlos. Cerca de 50 novelas já estão programadas para o Globoplay nos próximos meses.

Mais Notícias