Reportar erro
Dois anos

"Se eu não parasse, morreria", diz Glória Maria sobre período sabático da Globo

Jornalista deu entrevista a Amaury Jr.

amauryjr-gloriamaria_3c20429e09dfb626000cf74227787a1a00e3cf2e.jpeg
Reprodução
Sandro Nascimento

Publicado em 13/05/2018 às 20:49:55

No último sábado (12), o "Programa Amaury Jr", da Band, exibiu uma entrevista de quatro minutos com a jornalista Glória Maria, gravada durante o Prêmio Risadaria na semana passada.

Atualmente na equipe do "Globo Repórter", Glória comentou sobre a experiência de ter ficado afastada do vídeo entre 2007 e 2009, após apresentar por 10 anos o "Fantástico" ao lado de Pedro Bial.

"Se eu não parasse, morreria. Eu acho que o medo é que impulsiona a gente. Se eu não tivesse que voltar, paciência. Eu iria arranjar uma outra forma de vida. Mas eu acho que a coisa mais importante é a gente ter coragem e enfrentar nossos medos. É claro que eu tive insegurança. Pedi dois anos sabáticos à TV Globo. Ou eles podiam não me dar, me dar ou me dar para sempre. Mas eu arrisquei e investi nos anos que eu dedico a essa coisa. Então, graças a Deus que eu parei eu parei dois anos e agora eu tenho mais 30 pela frente".

Durante o período que ficou fora do ar, a jornalista dedicou por três meses parte do seu tempo para cuidar de crianças abandonadas na Bahia. Em um abrigo de menores,conheceu suas duas filhas adotadas, Maria e Laura.

Glória Maria ainda revelou a Amaury Junior que embora passe boa parte do trabalho viajando, e portanto, longe da redação de jornalismo da Globo, ela sente pressão para produzir conteúdo para o "Globo Repórter".

"A pressão eu tenho. Eu fico 20 ou 25 dias fora e tenho que trazer um a dois programas. Eu não tenho diretora, a minha equipe são três pessoas. Então, a pressão é grande, mas eu vivo sob pressão. Eu acho que se a gente não tiver isso, morre. Eu gosto disso, eu gosto de ter pressão, gosto de ter o time, eu gosto de viver no limite. É isso que me deixa viva", contou a repórter.

A entrevista se encerrou com Glória Maria respondendo que, se tivesse que deixar o Rio de Janeiro, moraria na França, em Saint-Tropez, ou na Espanha, em Ibiza, e completou: "Se eu tiver que deixar o Brasil, que é o melhor país do mundo, só pra ser feliz de verdade".

Mais Notícias