Ana Beatriz Nogueira rompe o silêncio e revela que é portadora de esclerose múltipla

Ana Beatriz Nogueira fará a nova temporada de "Malhação" e "O Sétimo Guardião" - Divulgação

Publicado em 04/02/2018 às 17:20:05

Por: Redação NT

Atualmente em uma das melhores fases de sua carreira, tendo saído em alta de "Rock Story" e às vésperas de entrar na nova temporada de "Malhação" - onde fará apenas algumas semanas até migrar para a novela de Aguinaldo Silva às 21h, Ana Beatriz Nogueira decidiu romper o silêncio de quase uma década. À jornalista Patrícia Kogut, ela revelou ser portadora de esclerose múltipla.

"A arte me salva todos os dias. Já me salvava antes, agora, mais ainda", revelou a atriz, que foi diagnosticada com a doença ainda em 2009, quando atuava em "Caminho das Índias", de Glória Perez.

Ana Beatriz relembrou as primeiras manifestações da doença, no começo de 2009. Em uma noite, enquanto assistia a um filme legendado pela madrugada, sentiu sua visão duplicar. "Achei que a legenda da televisão estava ruim. Mas, no dia seguinte, não tinha melhorado e procurei o médico. Ele disse que isso se chama “diplopia” e poderia ter inúmeras causas. Concluiu que era o efeito colateral de um remédio para dormir que eu estava tomando. Me tranquilizou e garantiu que passaria com a suspensão do medicamento", disse.

Na sequência, no dia da festa de lançamento de "Caminho das Índias" no Parque Lage, Zona Sul do Rio, ela revelou ter precisado da ajuda de Tony Ramos para subir as escadas e chegar ao salão do palacete. Duas semanas depois, sua visão havia voltado ao normal.
Uma nova manifestação de que algo não estava bem ocorreu em meio às gravações da novela das nove durante uma cena com Vera Fischer e Antonio Calloni: "Eu estava vendo duplo e embaçado. Pedi ao Calloni para me dizer de que lado estava a Vera: eu via duas Veras. Ele sinalizou, tirei uma reta e fui".

Ana Beatriz recorreu à ajuda médica e se submeteu a uma ressonância magnética. Após três dias no hospital, recebeu o diagnóstico de esclerose múltipla - ainda que à época o médico acreditasse se tratar de um 'falso positivo'. Em novembro daquele ano, após um surto ainda mais grave, no qual ela deixou de enxergar absolutamente tudo, uma médica lhe deu o diagnóstico definitivo. A esclerose múltipla é uma doença que tem maior predomínio entre mulheres e que se resume como um distúrbio inflamatório crônico do sistema nervoso central - que se caracteriza por surtos recorrentes.


publicidade

A atriz global relembrou dos primeiros momentos após o diagnóstico: "Achei que era o fim. Como atriz, meu corpo é meu instrumento de trabalho, meu tudo, dependo da minha visão, da audição, das funções cognitivas. O trabalho é minha festa, minha fonte de renda, minha alegria, minha beleza (...) A médica também me disse: ‘Você tem esclerose múltipla, uma doença autoimune que não tem cura e pode ser incapacitante. Mas a sua é na forma branda, o prognóstico é muito bom e você pode controlar isso e morrer de tijolada".

Após algumas semanas de cama e abatida com a situação, Ana Beatriz decidiu 'sair da cama' e se entregar por completo ao trabalho: "De lá para cá, nunca trabalhei tanto na vida", garante.

Ela também informa que seus amigos mais próximos, como Patrícia Pillar, Denise Bandeira, Zelia Duncan, Malu Mader e Luiz Henrique Nogueira aprenderaem a aplicar uma injeção de imunomodulador que ela precisa para não ter mais surtos. Ela também mudou sua rotina e passou a fazer ginástica, algo que passou a ser obrigatório, e buscar formas de amenizar o impacto do calor excesivo.

A atriz temia o preconceito e agora, com a doença sob controle, decidiu dividir com o público o que estava passando. Até então, apenas os amigos próximos, o irmão, uma tia e Carlos Henrique Schroder e Monica Albuquerque, executivos da Globo, sabiam da doença.

Ela agora pretende abrir um espaço na internet para abordar a questão, mas deixa muito claro que seu objetivo não é dar conselhos que só um médico teria alçada para dar - e sim promover uma troca de experiências. "Minha decisão de falar foi motivada por amigos, por terapia e pelo desejo de tornar essa estrada mais fácil para quem tiver que passar por ela. Não estou doente, tenho uma doença. Gosto de ver a esclerose múltipla como uma característica. Muita gente tem medo de falar, com receio de virar “café com leite” na vida. Mas quem controla a vida?", completou.



publicidade

LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade