Reportar erro
Demitido da Globo

Em artigo, William Waack se defende e nega racismo: "aquilo foi uma piada idiota"

Waack deixou a Globo no final de dezembro após polêmica declaração

williamwaack-globo_7d9e56dc637ab4d86e346aa2aaf8fb6bc1ef1548.jpeg
Divulgação/TV Globo
Fabrício Falcheti

Publicado em 15/01/2018 às 10:01:50

Desligado da Globo no final de dezembro, após intensa polêmica sobre uma suposta declaração racista que circulou na web, William Waack se pronunciou publicamente pela primeira vez e negou ser preconceituoso.

Em artigo publicado neste domingo (14) no jornal Folha de S.Paulo, o jornalista garante: "Aquilo foi uma piada - idiota -, sem a menor intenção racista, dita em tom de brincadeira, num momento particular. Desculpem-me pela ofensa; não era minha intenção ofender qualquer pessoa, e aqui estendo sinceramente minha mão”, escreveu.

Como prova, Waack coloca toda sua carreira de 48 anos: "Durante toda a minha vida, combati intolerâncias de qualquer tipo - racial, inclusive -, e minha vida profissional é prova eloquente disso".

Autorizado por Glória Maria, reproduziu uma frase dela sobre o caso: "Convivi com o William a vida inteira, e ele não é racista. Aquilo foi piada de português".

Na sequência, William Waack analisa o que lhe aconteceu, classificando como um fenômeno na revolução digital. "As empresas da chamada 'mídia tradicional' são permanentemente desafiadas por grupos organizados no interior das redes sociais", aponta.

No fim, ele faz um adendo: "Admito, sim, que piadas podem ser a manifestação irrefletida de um histórico de discriminação e exclusão. Mas constitui um erro grave tomar um gracejo circunstanciado, ainda que infeliz, como expressão de um pensamento. Até porque não se poderia tomar um pensamento verdadeiramente racista como uma piada".

E conclui: "Um homem se conhece por sua obra, assim como se conhece a árvore por seu fruto. Tenho 48 anos de profissão. Não haverá gritaria organizada e oportunismo covarde capazes de mudar essa história: não sou racista. Tenho como prova a minha obra, os meus frutos. Eles são a minha verdade e a verdade do que produzi até aqui".

O caso

Dois ex-funcionários da Globo vazaram em novembro último um vídeo feito nos bastidores de uma edição especial do "Jornal da Globo", em frente à Casa Branca, em Washington, sobre as eleições presidenciais americanas em 2016.

Em dado momento, um carro começa a buzinar na rua, irritando William Waack. "Tá buzinando por que, seu merda do cacete? Não vou nem falar, porque eu sei quem é", disparou ele, para depois cochichar ao comentarista que estava do seu lado: "É preto. É coisa de preto!".

Internautas se revoltaram com a fala do jornalista e desde então vinham pedindo sua demissão. Inicialmente, ele foi afastado pela Globo, até seu desligamento oficial no dia 22 de dezembro.

Sua substituta no "Jornal da Globo" é Renata Lo Prete.

Mais Notícias