Boris Casoy paga R$ 60 mil a gari ofendido no "Jornal da Band" em 2009

Divulgação

Publicado em 20/09/2017 às 10:12:21

Por: Redação NT

Mais de sete anos depois do ocorrido, Boris Casoy indenizou o gari José Domingos de Melo, que processou o jornalista em 2010 ao se sentir ofendido com um comentário feito no Réveillon do ano anterior no "Jornal da Band".

Em 2013, o âncora foi condenado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a pagar R$ 21 mil ao varredor, mas o valor atualizado e corrigiu chegou a R$ 60 mil, pagos no último dia 28 de agosto após mandado de levantamento judicial emitido pela 15ª Vara Cível da Capital em março deste ano.

José Domingos foi representado pelos advogados da Femaco, que protege os garis do estado.

Ao site do sindicato, o varredor contou o que pretende fazer com o dinheiro: ajudar a mãe de 75 anos, reformar sua casa e fazer um churrasco para os amigos do trabalho.

"Fui abordado pela equipe da Bandeirantes solicitando que desejasse felicitações de ano novo para veiculação na TV, mas não imaginava que minha participação no programa renderia deboche, preconceito e discriminação", lamentou ele.

Em 31 de dezembro de 2009, José Domingos de Melo e Francisco Gabriel de Lima apareceram em uma vinheta especial de fim de ano do "Jornal da Band". Neste momento, uma falha técnica expôs um comentário feito em off por Boris Casoy: "Que merda, dois lixeiros desejando felicidades do alto das suas vassouras. O mais baixo na escala do trabalho".

A frase viralizou e o âncora foi muito criticado. No dia seguinte, ele classificou sua frase como infeliz e pediu desculpas: "Peço profundas desculpas aos garis e a todos os telespectadores", mas não convenceu.

Boris, hoje na RedeTV!, também foi condenado a indenizar o outro gari, Francisco Gabriel de Lima, mas o mandado ainda não foi emitido pela Justiça.

Relembre:



LEIA MAIS

publicidade

COMENTÁRIOS

Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!

publicidade